Translate

quarta-feira, 30 de outubro de 2013

Post.88: OS ESPÍRITOS NO DIA DE FINADOS

         No dia de finados o ambiente espiritual nos cemitérios fica tumultuado, tal como ocorre no plano físico. Pois, os espíritos estão presentes em suas sepulturas, sendo em maior número, porque existem mais pessoas que os chamam, pois eles atendem ao apelo do pensamento, nesse dia, como nos outros dias; mas cada um vem por causa dos seus familiares e amigos e não pela multidão dos indiferentes. E também muitos espíritos que estão vagando desocupados e curiosos vão aos cemitérios, atraídos pela movimentação das pessoas, alguns deles comparecem respeitosos enquanto outros se entregam à brincadeiras e à zombarias.  


         As flores, os enfeites, as velas, os mausoléus, não influenciam no estado espiritual do desencarnado, somente os espíritos ainda muito ligados às manifestações materiais poderiam se importar com o estado do seu túmulo, e mesmo estes em pouco tempo percebem a inutilidade, em termos espirituais, de tais arranjos. O carinho com que são cuidados os túmulos só tem algum valor para os encarnados, que devem ter cuidado para não criarem um estranho tipo de culto.

Os espíritos
         Quando o espírito alcança um certo grau de perfeição, não tem mais a vaidade terrena e compreende a futilidade de todas as homenagens prestadas aos seus despojos mortais. Mas há espíritos que nos primeiros momentos da sua morte sentem um grande prazer com as homenagem que lhes prestam, ou um desgosto com o abandono dos seus despojos, porque nos dois casos conservam, ainda, algumas idéias desse mundo físico. Já os espíritos esquecidos, cujos túmulos ninguém vai visitar, não se prendem senão pelo coração; se aí não há amor, não há nada que retenha o espírito. Para os espíritos sofredores e perturbados, a prece será de grande beneficio. Já para os espíritos que estão conscientes do seu desencarne, e aceitando a nova realidade, a prece também chegará como um bálsamo, pela lembrança e pelo carinho. Há espíritos que apenas são lembrados no dia de finados, por isso gostam da homenagem; outros que gostariam de serem lembrados no seu antigo lar; outros com maior entendimento, pedem que usem o dinheiro das flores, das velas... em alimentos aos pobres. 


         Os espíritos se sensibilizam com as lembranças de amor que se tem por eles, se são felizes essas lembranças aumenta-lhes a felicidade;se são infelizes, são para eles um alívio, isto independente de data especificada. Aos desencarnados bons pensamentos e prece, sempre.

Post.87: DIA DE FINADOS NA VISÃO ESPÍRITA

     Com o Espiritismo aprendemos que nosso espírito é imortal, nisto a morte é apenas uma passagem para o plano espiritual, não existindo o nada, mas sim com toda a certeza a verdadeira vida. A morte existe para que possamos transitar da vida material para a vida espiritual, permitindo desta maneira que nossa moral e nosso intelecto sejam desenvolvidos.

     Embora carregamos tais entendimento sobre a vida futura, o nosso coração fala mais alto no desencarne de um ente querido, e a saudade bate forte. Mas carregamos a certeza de um novo reencontro no futuro; isso nos possibilita pensar mais adiante, refletindo sobre a vida espiritual, lançando o olhar para a nossa vida futura, pois sabemos que ele foi libertado primeiro que nós do mundo material, e voltou para a verdadeira morada.

     Nós espíritas homenageamos os desencarnados todos os dias, quando lembramos deles com pensamos de alegria, de paz e sentimentos edificantes; sabemos que estão vivos de uma outra forma, e mais que nunca junto de nós, assim cada pensamentos que emanamos a eles, a conexão entre nós se estabelece, unindo os dois planos. Não julgamos quem vá a cemitérios prestar as suas homenagens, é favorável, mas que as homenagens sejam realizadas com sinceridade e não apenas de forma convencional e porque é cultura.

     A visita ao túmulo é um modo de manifestar que se pensa no espírito ausente no plano físico. Para nós o lugar mais indicado para lembrá-los é em nossas casas, ao invés da frieza dos cemitérios. Pois nossos  familiares desencarnados preferem receber nossa mensagem de saudade e carinho envolvida nas vibrações do ambiente familiar, não importando a situação espiritual em que eles se encontrem, pois os nossos pensamentos sempre os alcança. Realizar  nossa prece, sem importar o lugar, sendo ela feita de coração. É a prece o maior auxílio/beneficio concedido aqueles que partiram, não havendo uma data especifica para ser realizada.

     E quando chorar que seja pela saudade, mas uma saudade equilibrada, sem nenhuma sombra de revolta e inconformismo. Pois, as lamentações exageradas causam sofrimento e perturbações, para quem partiu, causando assim desequilíbrio. Se somos conformados e realizamos preces para os desencarnados, eles tem mais uma ajuda a seguir na sua nova jornada, pois como para nós é difícil se acostumar sem a presença física deles, para eles também não é tão fácil se adaptar na sua nova vida, isto de acordo com a sua evolução.  Devemos nos esforçar, sempre para que quando lembramos deles, que nosso pensamento seja de saudade equilibrada, de desejo de paz e bem-estar, de apoio e afeto e jamais de desespero, de acusação, de culpa ou de remorso. 

terça-feira, 29 de outubro de 2013

Suposta Tradução do PAI NOSSO, do Aramaico

“Pai-Mãe, respiração da Vida, Fonte do som, Ação sem palavras, Criador do Cosmo!
Faça sua Luz brilhar dentro de nós, entre nós e fora de nós para que possamos torná-la útil.
Ajude-nos a seguir nosso caminho respirando apenas o sentimento que emana do Senhor.

Nosso eu, no mesmo passo, possa estar com o Seu, para que caminhemos como reis e rainhas com todas as outras criaturas.
Que o Seu e o nosso desejo sejam um só, em toda a Luz, assim como em todas as formas, em toda existência individual, assim como em todas as comunidades.

Faça-nos sentir a alma da Terra dentro de nós, pois assim, sentiremos a Sabedoria que existe em tudo.
Não permita que a superficialidade e a aparência das cosias do mundo nos iluda, e nos liberte de tudo aquilo que impede nosso crescimento.

Não nos deixe sermos tomados pelo esquecimento de que o Senhor é o Poder e Glória do mundo, a Canção que se renova de tempos em tempos e que a tudo embeleza.
Possa o Seu amor ser o solo onde crescem nossas ações.”



Se esta é ou não a tradução do Pai Nosso do Aramaico ou se Jesus Orou desta maneira ou se esta é mais uma versão, não sabemos,mas o que importa é que as palavras são lindas.

segunda-feira, 28 de outubro de 2013

Post.86: AS SIMPATIAS E AS ANTIPATIAS A PRIMEIRA VISTA ENTRE AS PESSOAS

Todos nós já percebemos que algumas vezes quando encontramos uma pessoa, uma simpatia é logo aflorada por ambas as partes; já com outras pessoas surge um entrave, uma antipatia. Por que será que isso ocorre?

As simpatias e as antipatias entre as pessoas que se vêem pela primeira vez, são o mais frequentemente indivíduos que se conheceram, e algumas vezes se amaram, numa existência precedente, e que, se reencontrando, são atraídas uma para outra. E as antipatias instintivas também são frequentemente, de relações anteriores.

Esses dois sentimentos podem ainda ter uma outra causa, pois o perispírito irradia ao redor do corpo uma espécie de atmosfera impregnada das qualidades boas ou más do espírito encarnado. Duas pessoas que se encontram, pelo contato dos fluidos, experimentam a impressão; essa impressão é agradável ou desagradável e os fluidos tendem a se confundirem, ou a se repelirem, segundo sua natureza semelhante ou dessemelhante. É assim que se pode explicar o fenômeno da transmissão do pensamento. Pelo contato dos fluidos, duas almas se compreendem de alguma maneira uma à outra; elas se adivinham e se compreendem sem se falarem.

Os espíritos que não se simpatizam não são necessariamente maus. A antipatia pode nascer da diferença na maneira de pensar, mas, à medida que eles se elevam, as diferenças se apagam e a antipatia desaparece. Sendo que, a antipatia entre duas pessoas não nasce em primeiro lugar, naquele que tem o espírito pior, as causas e os efeitos são diferentes. Um espírito mau tem antipatia contra qualquer um que o possa julgar e desmascarar; vendo uma pessoa pela primeira vez, ele sabe que vai ser desaprovado. Seu afastamento se transforma em ódio, em ciúme, e lhe inspira o desejo de fazer o mal. O bom espírito tem repulsa pelo mau, porque sabe que não será compreendido e que não partilham os mesmos sentimentos; mas seguro de sua superioridade, não tem contra o outro nem ódio, nem ciúmes, contentando-se em evitá-lo e lastimá-lo. 

Os Fatores que Destroem os Seres Humanos – Mahatma Gandhi

Perguntaram a Mahatma Gandhi quais os fatores que destroem os seres humanos.
Ele respondeu:

“A política, sem princípios;
O prazer, sem compromisso;
A riqueza, sem trabalho;
A sabedoria, sem caráter;
Os negócios, sem moral;
A ciência, sem humanidade;
A oração, sem caridade.
A vida me ensinou que as pessoas são amigáveis, se eu sou amável,
que as pessoas são tristes, se estou triste,
que todos me querem, se eu os quero,
que todos são ruins, se eu os odeio,
que há rostos sorridentes, se eu lhes sorrio,
que há faces amargas, se eu sou amargo,
que o mundo esta feliz, se eu estou feliz,
que as pessoas ficam com raiva quando eu estou com raiva,
que as pessoas são gratas, se eu sou grato.
A vida é um espelho: se você sorri para o espelho, ele sorri de volta.
A atitude que tome perante a vida é a mesma que a vida vai tomar perante mim.
‘QUEM QUER SER AMADO, AME!’”




Não é preciso falar mais nada, sobre essa linda e coerente opinião!

domingo, 27 de outubro de 2013

Post.85: VENDILHÕES EXPULSOS DO TEMPLO

5. Eles vieram em seguida a Jerusalém, e Jesus, entrando no templo, começou por expulsar dali os que vendiam e compravam; derrubou as mesas dos cambistas e os bancos dos que vendiam pombos; – e não permitiu que alguém transportasse qualquer utensílio pelo templo. – Ao mesmo tempo os instruía, dizendo: Não está escrito:Minha casa será chamada casa de oração por todas as nações? Entretanto, fizestes dela um covil de ladrões! – Os príncipes dos sacerdotes, ouvindo isso, procuravam meio de o perderem, pois o temiam, visto que todo o povo era tomado de admiração pela sua doutrina. (S. MARCOS, 11:15 a 18; S. MATEUS, 21:12 e 13.)

6. Jesus expulsou do templo os mercadores. Condenou assim o tráfico das coisas santas sob qualquer forma. Deus não vende a sua bênção, nem o seu perdão, nem a entrada no reino dos céus. Não tem, pois, o homem, o direito de lhes estipular preço.


Este é um trecho do capitulo 26, do Evangelho Segundo o Espiritismo. O item 6, descreve em poucas palavras a atualíssima questão mercantil em nome de Deus. Algo muito triste.  

quinta-feira, 24 de outubro de 2013

Dica de Livro: NADA É POR ACASO

O romance Nada é Por Acaso, de Lucius, psicografado por Zibia Gasparetto; traz uma linda historia sobre esterilidade e barriga de aluguel. Além destes dois temas, este livro nos leva a pensar sobre as coisas que acontece em nossa vida, nos fazendo perceber mais que nunca que, tudo que  acontece em nossa vida tem um porque e uma causa, pois nada é por acaso.


Fala de uma personagem do livro:
“Não entre novamente na tristeza. Pense que nada acontece por acaso. Os desafios da vida são preciosas oportunidades de amadurecimento. Lembre-se de que o entendimento eleva, traz discernimento, amadurece, enquanto o julgamento limita, dificulta, atrai sofrimento."

quinta-feira, 17 de outubro de 2013

Post.84: MAU OLHADO


         No Espiritismo o mau olhado é examinado por meio dos fenômenos anímicos, que é uma atividade do espírito encarnado. Sendo entendido como resultado de uma emissão magnética intensa de vibração mental, de alguém que se deixa dominar ou é dominado por sentimentos de vibração inferior como a inveja, a competitividade, o rancor, o ódio, o ciúme dentre outros sentimentos sem nobreza. E ao descarregar esta onda de sentimentos/pensamentos negativos, e de vibrações perversas, muitas vezes atinge aquele ao qual é dirigido esses pensamentos negativos, sendo que a sensibilidade em sofrer esta ação magnética varia de pessoa para pessoa.

        O pensamento é uma energia eletromagnética e a mais poderosa no Universo, que parte de um emissor e alcança a um ou vários receptores, impulsionada pela vontade. Essa energia tem densidade, cor, cumprimento de onda e outros atributos. Recebemos e emitimos pensamentos, ininterruptamente; dependendo de como é emitido pode construir ou destruir, e somado a vontade consciente ou inconsciente, acarretam distúrbios consideráveis afetando pessoas, animais e plantas.     

        Assim, como o amor tem a sua resposta e transmite uma reação positiva que volta para o que ama, o mal também transmite as energias maléficas que tanto leva ao seu alvo podendo ser devolvida ao emissor a resposta correspondente.

        A pratica de ações na esfera do bem, exercer a caridade, o amor ao próximo; a renovação do psiquismo, por pensamentos saudáveis; a busca da vivencia e a pratica dos ensinamentos morais de Jesus; e pra quem frequenta instituições espíritas, o passe, a água fluidificada, junto da evangelização; são eficazes para o reequilíbrio de nosso campo psíquico/espiritual, pois cria em torno de nós um campo vibratório benéfico e protetor, estabelecendo barreiras que nos protegerão destas vibrações maléficas.  

       O mau olhado ainda existe por causa que estamos em um mundo ainda atrasado moralmente, sendo decorrente do meio. A psicosfera do planeta Terra é muito densa, escura, sendo um dos mais atrasados. O Espírito Ramatis, nos esclarece que: "Tanto quanto mais delicado é o ser, mais ele também é afetado pelas hostilidades próprias do meio onde vive."


terça-feira, 15 de outubro de 2013

Post.83: AS MÁS PAIXÕES

     A paixão está no excesso acrescentado à vontade, porque este princípio foi dado ao homem para o bem, e as paixões podem levá-lo a grandes coisas, sendo que o abuso que delas se faz é que causa o mal. As paixões são alavancas que tornam as forças do homem muito maior que o  normal, e assim o ajudam na realização dos objetivos da Providência. Mas se, em lugar de as dirigir, o homem se deixa dirigir por elas, cai nos excessos e a própria força que, em suas mãos, poderia fazer o bem, recai sobre ele e o faz sucumbir.
     
     Todas as paixões tem seu princípio num sentimento ou necessidade natural. O princípio das paixões, portanto, não é um mal, visto que repousa sobre uma das condições providenciais de nossa existência. A paixão se torna má, quando ela está no excesso e não na causa, e esse excesso torna-se um mal quando tem por consequência um resultado que trás um mal qualquer. Toda paixão que aproxima o homem da natureza animal, o distancia da natureza espiritual.

     Os males que afligem os homens na Terra, têm por causa o orgulho, o egoísmo e todas as más paixões. Pelo contato de seus vícios, os homens se tornam reciprocamente infelizes e se punem uns pelos outros. Que a caridade e a humildade substitua o egoísmo e o orgulho, então não procurarão mais se prejudicarem; respeitarão os direitos de cada um, e farão reinar, entre eles, a concórdia e a justiça.

     Mas como destruir o egoísmo e o orgulho que parecem inatos no coração do homem? O egoísmo e o orgulho estão no coração do homem, porque os homens são espíritos que seguiram, desde o princípio, o caminho do mal, e que foram exilados na Terra em punição desses mesmos vícios; aí está ainda seu pecado original, do qual muitos não se despojaram. Pelo Espiritismo, Deus vem fazer um último apelo à prática da lei ensinada pelo Cristo: a lei de amor e da caridade.

     Todo sentimento que eleva o homem acima da natureza animal, anuncia a predominância do espírito sobre a matéria e o aproxima da perfeição. O homem pode vencer as suas más tendências pelos seus esforços, e algumas vezes, por fracos esforços; mas o que lhe falta é a vontade.


     Quando o homem ora a Deus e ao seu Guia Espiritual com sinceridade, recebe a assistência dos bons espíritos, pois eles vêem em sua ajuda, porque é a sua missão. O meio mais eficaz de se combater a predominância da natureza corporal é praticar a abnegação de si mesmo.

"Todas as paixões são boas quando somos senhores delas, e todas são más quando se assenhoreiam de nós." (ROUSSEAU)



Fonte:  O que é o Espiritismo – Parte: O Espiritismo em sua mais simples Expressão. Itens: 31 e 32.                   
            O livro dos Espíritos – Questões 907 à 912

segunda-feira, 14 de outubro de 2013

Post.82: ANJOS GUARDIÕES - JOANNA DE ÂNGELIS

Os anjos guardiões são embaixadores de Deus, mantendo acesa a chama da fé nos corações e auxiliando os enfraquecidos na luta terrestre.

Quais estrelas formosas, iluminam as noites das almas e atendem-lhes as necessidades com unção e devotamento inigualáveis.

Perseveram ao lado dos seus tutelados em toda circunstância, jamais se impacientando ou os abandonando, mesmo quando eles, em desequilíbrio, vociferam e atiram-se aos despenhadeiros da alucinação.

Vigilantes, utilizam-se e cada ensejo para instruir e educar, orientando com segurança na marcha de ascensão.

Envolvem os pupilos em ternura incomum, mas não anuem com seus erros, admoestando com severidade quando necessário, a fim de lhes criarem hábitos saudáveis e conduta moral correta.

São sábios e evoluídos, encontrando-se em perfeita sintonia com o pensamento Divino, que buscam transmitir, de modo que as criaturas se integrem psiquicamente na harmonia geral que vige no cosmo.

Trabalham infinitamente pelo Bem, no qual confiam com absoluta fidelidade, infundindo coragem àqueles que protegem, mantendo a assistência em qualquer circunstancia, na gloria ou no fracasso, nos momentos de elevação moral e naquele outros de perturbação e vulgaridade.  Nunca censuram, porque a sua é a missão de edificar as almas no amor, preservando o livre-arbítrio de cada uma, levantando-as após a queda, e permanecendo leais até que alcancem a meta da sua evolução.

Os anjos guardiões são lições vivas de amor, que nunca se cansam, porquanto aplicam milênios do tempo terrestre auxiliando aqueles que lhes são confiados, sem se imporem nem lhes entorpecerem a liberdade de escolha. Constituem a casta dos Espíritos Nobres que cooperam para o progresso da humanidade e da Terra, trabalhando com afinco para alcançar as metas que anelam.

Cada criatura, no mundo, encontra-se vinculada a um anjo guardião, em quem pode e deve buscar inspiração, auscultando-o e deixando-se por ele conduzir em nome da Consciência Cósmica.

Tem cuidado para que te não afastes psiquicamente do teu anjo guardião. Ele jamais se aparta do seu protegido, mas este, por presunção ou ignorância, rompe os laços de ligação emocional e mental, debandando da rota da liberdade. Quando erres e experimenteis a solidão, refaze o passo e busca-o pelo pensamento em oração, partindo de imediato para a ação edificante. Quando alcances as cumeadas do êxito, recorda-o, feliz com o teu sucesso, no entanto preservando-te do orgulho, dos perigos das facilidades terrestres.

Na enfermidade, procura ouvi-lo interiormente sugerindo-te bom ânimo e equilíbrio. Na saúde, mantém o intercambio, canalizando tuas forças para as atividades enobrecedoras. Muitas vezes sentirás a tentação de desvairar, mudando de rumo. Mantém-te atento e supera a maléfica inspiração. O teu anjo guardião não poderá impedir que os espíritos perturbadores se acerquem de ti, especialmente se atraídos pelos teus pensamentos e atos, em razão do teu passado, ou invejando as tuas realizações... todavia te induzirão ao amor, a fim de que te eleves e os ajudes, afastando-os do mal em que se comprazem.

O teu anjo guardião é o teu mestre e amigo mais próximo. Imanta-te a ele. Entre eles, os anjos guardiões e Deus, encontra-se Jesus, o Guia perfeito da humanidade. Medita nas Suas lições e busca seguir-Lhe as diretrizes, a fim de que o teu anjo guardião te conduza ao aprisco que Jesus levará ao Pai Amoroso.

Por Joanna de Ângelis, psicografia de Divaldo Pereira Franco.       

quinta-feira, 10 de outubro de 2013

Post.81: SIM, ANJOS DA GUARDA EXISTE !

         Anjo Guardião, Espírito Protetor, Anjinho da Guarda, Guia Espiritual... Esses são alguns nomes como são conhecidos. Mas vamos usar o termo nesta postagem para falar sobre esses espíritos amigos de “Guia Espiritual”.

         A missão do Guia Espiritual é seguir o homem na vida terrena e ajudá-lo a progredir. Sendo ele sempre de uma natureza superior à do progresso do seu protegido. Pois, estando os homens em expiação na Terra, Deus, não os deixou entregues a si mesmos, sem guias, assim permitiu o auxílio do Guia Espiritual, que vela e se esforça para nos conduzir no bom caminho. O Guia Espiritual se liga a nós desde antes do nosso nascimento, e frequentemente, nos segue depois do desencarne, podendo esta ligação se estender por varias existências corporais, porque essas existências são apenas fases bem curtas com relação à vida do espírito. Assim, nos toma sob sua proteção; nos conduzindo no caminho do bem e do progresso através das provas da vida; nos ajudando com conselhos, consolando nossas aflições, e nos encorajando nas adversidades da vida.


          Quando o espírito aceita tal tarefa, ele é obrigado a velar seu protegido, e também pode escolher o ser que lhe é simpático; para alguns é um prazer, para outros, uma missão ou um dever. Quando o Guia Espiritual se liga a uma pessoa, ele coloca toda a sua atenção no seu protegido, pode ajudar a outros, mas o faz menos exclusivamente. Quando precisa executar diversas missões é substituído.

         O Guia Espiritual nos auxilia com conselhos, com bons pensamento que nos sugere, no entanto, quando percebe que seus conselhos são inúteis, ele pode se afastar, por maus atitudes, mas não abandona completamente, e se for chamado retorna. Esses maus comportamentos do homem é resultado da fraqueza, da negligencia, da sua moral que precisa ser trabalhada; nisto o Guia Espiritual sofre por causa dos erros e o lastima, mas é também do seu conhecimento que não é responsável quando seu protegido não triunfa, pois fez o que dele dependia; e apesar de sentir aflição, não é como  as angustias terrenas, porque sabe que há remédio para o mal e que aquilo que não se faz hoje, será feito depois, nem que seja em futuras encarnações, pois o maior poder que tem sobre nós é não opor resistência. Mas quando o Guia Espiritual consegue conduzir seu protegido no bom caminho, se sente feliz, quando o vê coroado de sucesso, é um mérito, seja para seu próprio adiantamento e do seu protegido, seja pela a alegria de ambos, é como se fosse parte da missão cumprida. Ou seja, ele fica feliz quando correspondemos à sua  solicitude, e sofre quando nos vê sucumbir.

          A ação dos Guias Espirituais é oculta, porque se contássemos com a sua proteção em todas as circunstâncias, não agiríamos por nós mesmo,  se assim fosse não conseguiríamos progredir. Para que possamos avançar é necessário a experiência e é preciso, que adquiramos às nossas custas exercendo nossas habilidades. A ação dos Guias é sempre regulada de maneira a nos deixar usufruir do nosso livre-arbítrio, porque se não tivermos responsabilidades não avançamos na longa jornada do progresso, deste modo caminhamos por nós mesmos, com nossas forças; e nosso Guia, nos auxilia e nos inspira nos momentos que necessitamos.

          Os homens no estado selvagem ou de inferioridade moral, tem também seu Guia que vela por ele, mas as missões são relativas ao seu objetivo, pois como nós temos um espírito superior nos velando, nós podemos, a nosso turno, ser o protetor de um espírito que nos é inferior, e os progressos que o ajudamos a conquistar contribuirão  para o nosso adiantamento. Deus não pede ao espírito, alem do que comportem sua natureza e o grau que alcançou. Desta forma, Deus não perde nenhuma das suas ovelhas, e todos podem trabalhar para o progresso  de outro e o de si próprio, pois apesar de sermos ainda seres inferiores, já possuímos a capacidade de podermos ajudar a outros, porque Deus precisa de muitos trabalhadores em todos os graus da evolução para que o progresso possa ser alcançado por meio do nosso trabalho. 

         Vamos pedir para nosso Guia Espiritual está sempre ao nosso lado, e cada vez mais perto, nos iluminando, nos protegendo. Não importa o seu nome, mas se desejar, ou achar melhor, você pode dar qualquer nome a ele. Nos manter continuamente com um pensamento nele, é um remédio para o mal. Não vamos esquecer desse verdadeiro amigo que temos, amigo é para ser lembrado, tratado com delicadeza, com amor, amigo é pra conversar, e jamais ser  esquecido.
E a oração que aprendemos desde criança, ainda está valendo para nós adultos, a oração do Santo Anjo, ela é a essência do trabalho que esses amáveis amigos espirituais exercem, tendo uma responsabilidade permitida por Deus.



                                                                        “Santo Anjo do Senhor
Meu zeloso guardador
Se a ti me confiou a piedade divina,
Sempre me rege,
Me guarde,
Me governe,
Me ilumine.
Que Assim Seja.”