Translate

sexta-feira, 28 de março de 2014

Post. 134: PRECE PELA FAMÍLIA

           Deus, te agradeço pelo O Senhor Ter Permitido o encontro no mundo material dos espíritos que compõem a minha família carnal. Para podermos vivenciar as experiências que cada um necessita, neste núcleo de aprendizagem, que é a família.

Que o espaço físico que moro seja cada vez mais um lar, indo além das estruturas físicas, que seja composto de amor, de harmonia, de paz, de alegria, de sorrisos, de afetos, de perdão, de companheirismo, de entendimento, de benevolência... Para que possamos viver a felicidade no aconchego do nosso lar.

Pai do Universo, que a Tua Presença seja cada vez mais constante e forte em minha família e em todas as famílias, principalmente naquelas que necessitam da Tua presença, para melhorar a convivência conturbada; que os Teus trabalhadores espirituais, possam trabalhar a harmonia onde há discórdia, levar luz onde há sombras, alegria onde há tristeza, saúde onde há enfermidade, paz onde há conflito, esperança onde há desmotivação...

Que as pessoas que tenham algum tipo de discórdia para com a minha família possam sentir o Teu Amor, que o coração endurecido possa receber a Tua luz.

Fortalece Senhor a nossa paciência, para que possamos viver cada vez mais em equilíbrio; fortalece a nossa esperança; fortalece cada vez mais os nossos laços de amor; fortalece cada vez mais a nossa fé; fortalece  a inspiração nas mulheres da nossa família nos exemplos da vida de Maria com o seu amor incomparável; fortalece a inspiração dos homens da nossa família na vida de José, com sua dedicação abnegada; fortalece a inspiração nas crianças da nossa família nos exemplos de amor da vida de Jesus.

Amado Jesus, te rogamos que a Tua Luz esteja presente em nossas vidas, que o nosso lar seja uma fonte de Luz. Proteja cada um dos membros da minha família das maldades que esse mundo físico apresenta e de causas espirituais inferiores. Te pedimos Jesus entendimento para que possamos viver cada vez mais em teus ensinamentos. Que quem chegue em minha casa possa sentir a Tua Divina Luz.

Que assim seja.

Escrito por Jardim Espírita.


quarta-feira, 26 de março de 2014

Post.133: FAMÍLIAS ESPIRITUAIS E CARNAIS

           Como vimos na postagem anterior (post.132), a família espiritual é formada por espíritos que ao longo do tempo desenvolvem experiências em comum, estabelecendo sólidos laços de afetividade. A família carnal é formada por espíritos ligados na Terra pela consanguinidade.


Nem sempre a família carnal é composta por espíritos que compõem uma família espiritual. Dependendo das experiências compatíveis com suas necessidades evolutivas, o espírito pode reencarnar entre pessoas que não pertencem à sua família espiritual. Por experiência ou provação há quem reencarne em país e cultura diferentes, convivendo com pessoas que não guardam afinidade com ele. Pois, o entrosamento entre os familiares não depende tanto de pretéritas ligações, relaciona-se muito mais com sua maturidade, sua capacidade de conviver.

Os espíritos que nos são estranhos no circulo familiar carnal, podem converter-se em membros da nossa família espiritual. As famílias espirituais tendem a crescer, na medida que os espíritos se libertem de suas mazelas e imperfeições, estabelecendo elos legítimos de fraternidade.

Nem todas as desavenças, as brigas, os desentendimentos no lar tem origem em vidas passadas, muitas vezes se originam mais pela falta de educação do presente do que nos desentendimentos de vidas passadas. Inimigos do passado reúnem-se no lar para se harmonizarem, para superar suas desavenças,para desenvolverem o perdão e o amor, não para reacenderem conflitos.

Seguindo este entendimento compreendemos que mesmo entre componentes de uma família espiritual reencarnada pode ter desentendimento, e até ruptura no relacionamento, portanto uma convivência de longa data, em vidas passadas não é garantia de um entendimento perfeito. A harmonia num relacionamento familiar depende, essencialmente, de nosso empenho em vivenciar os princípios evangélicos, envolvendo perdão, compreensão, respeito, tolerância, caridade...

A amplitude de nossa família espiritual está subordinada a nossa capacidade de amar, ou seja, quanto mais amor o espírito tem para dar, mais ele crescerá. Cumprir a vontade de Deus, que se exprime no empenho permanente em favor do bem e da verdade. Assim, estaremos sempre ampliando nossa família espiritual, para que sejamos um dia membros legítimos da família universal.


Fonte de inspiração para a postagem: Richard Simonetti 

segunda-feira, 24 de março de 2014

Post.132: QUEM É MINHA MÃE E QUEM SÃO OS MEUS IRMÃOS?

             E tendo chegado à casa, nela se reuniu uma tão grande multidão de povo, que não podiam mesmo tomar seu alimento. Seus parentes, tendo sabido disso, vieram para se apoderarem dele, porque diziam que ele havia perdido o espírito.
Entretanto, sua mãe e seus irmãos tendo vindo, e ficando do lado de fora, mandaram chamá-lo. Ora, o povo estava sentado ao seu redor, e lhe disse: “Vossa mãe e vossos irmãos estão lá fora vos chamando”. Mas ele lhes respondeu: “Quem é minha mãe, e quem são meus irmãos?” E olhando aqueles que estavam sentados ao seu redor: Eis, disse, minha mãe e meus irmãos; porque todo aquele que faz a vontade de Deus, este é meu irmão, minha irmã e minha mãe.
(São Marcos, cap.III, v. 20, 21 e 31 a 35; São Mateus, cap. XII, v. de 46 a 50)


6. Certas palavras parecem estranhas na boca de Jesus e contrastam com a sua bondade e sua inalterável benevolência para com todos. (...)  Tendo os Seus ensinamentos a lei do amor e da caridade; não podia, pois, destruir de um lado o que estabelecia de outro; de onde é preciso tirar esta consequência rigorosa de que, se certas máximas estão em contradição com o princípio, é que as palavras que se lhe atribuem foram mal expressadas, mal compreendidas ou não são dele. 

7. Admira-se, e com razão, ver, nessa circunstância, Jesus mostrar tanta indiferença para com os seus parentes e, de alguma sorte, renegar sua mãe. (...)
 Supor-lhe ter renegado sua mãe seria desconhece-lhe o caráter: um tal pensamento não poderia animar aquele que disse: “Honrai a vosso pai e a vossa mãe”. É preciso, pois, procurar um outro sentido para as suas palavras, quase sempre veladas sob a forma alegórica.
Jesus não negligenciou nenhuma ocasião de dar um ensinamento; tomou, pois, a que lhe oferecia a chegada da sua família para estabelecer a diferença que existe entre o parentesco corporal e o parentesco espiritual.


O PARENTESCO CORPORAL E O PARENTESCO ESPIRITUAL
8. (...)  Há, pois, duas espécies de famílias: as famílias pelos laços espirituais, e as famílias pelos laços corporais; as primeiras, duráveis, se fortalecem pela depuração. E se perpetuam no mundo dos espíritos, através de diversas migrações da alma; as segundas, frágeis como a matéria, se extinguem com o tempo e, frequentemente, se dissolvem moralmente, desde a vida atual. Foi isso que Jesus quis fazer compreender em dizendo aos seus discípulos: Eis minha mãe e meus irmãos, quer dizer, minha família pelos laços do espírito, porque quem quer que faça a vontade do meu Pai que está nos céus é meu irmão, minha irmã e minha mãe. (...)
            Assim falando aos seus discípulos, do ponto de vista espiritual: “Eis meus verdadeiros irmão”; sua mãe se encontrava com eles e generaliza o ensinamento, o que não implica de nenhum modo que tenha pretendido que sua mãe segundo o corpo não lhe era nada como espíritos, e que não tivesse por ela senão indiferença; sua conduta, em outras circunstâncias, provou suficientemente o contrário.


Fonte: O Evangelho Segundo o Espiritismo; cap. 14. 


Para saber mais sobre famílias espirituais e carnais acesse o link da postagem 133: http://jardim-espirita.blogspot.com.br/2014/03/post133-familias-espirituais-e-carnais.html

quinta-feira, 20 de março de 2014

Post. 131: PRECE PELOS DOENTES

Meu Deus, vossos desígnios são impenetráveis, e em vossa sabedoria acreditastes dever afligir (falar o nome da pessoa doente) pela doença. Lançai, eu Vos suplico, um olhar de compaixão sobre os seus sofrimentos, e dignai-vos pôr-lhes um fim.

Bons Espíritos, ministros do Todo-Poderoso, secundai, eu vos peço, meu desejo de aliviá-lo; dirigi meu pensamento,a  fim de que ele vá derramar um bálsamo salutar sobre o seu corpo e consolação em sua alma.

Inspirai-lhe a paciência e a submissão à vontade de Deus; dai-lhe a força de suportar as suas dores com resignação Cristã, a fim de que não perca o fruto da suas provas.




Fonte: O Evangelho Segundo o Espiritismo, em Coletânea de Preces Espíritas. Allan Kardec. 


quarta-feira, 19 de março de 2014

Post.130: DOENÇAS – NA VISÃO DA DOUTRINA ESPÍRITA

          As doenças fazem parte das provas da vida, sendo um atributo à imperfeição da nossa natureza e da inferioridade do mundo que habitamos atualmente, que é o mundo em estágio evolutivo de provas e expiações. As más paixões e os excessos cometidos de todos os tipos, o mal uso do corpo físico,  causam desajustes e consequentemente surgem as doenças. Já nos mundo mais avançados, em que o físico e a moral já são mais evoluídos do que aqui na Terra, o organismo humano é mais depurado e menos material, assim não está sujeito às mesmas enfermidades, e o corpo não é danificado pelas devastações das más paixões.

O Espiritismo nos esclarece que temos que suportar com resignação esses males passageiros, pois é consequência da nossa inferioridade que nos coloca em tal meio; até que tenhamos merecimento, pelo desenvolvimento do valor moral para poder “habitar” um corpo físico mais evoluído, por isso que devemos ir em busca de nos melhorarmos cada vez mais, e jamais nos acomodarmos, principalmente quando temos tais informações que ajuda para a elevação da nossa posição atual.

Os sofrimentos corporais devem e vão sendo diminuídos e dissipados, de acordo com o avanço moral e intelectual da humanidade, por isso que cada vez mais Deus Permite o desenvolvimento de meios de cura para às enfermidades, assim Sua Providência indica que é do nosso dever procurar e aplicar os tratamentos disponíveis que estão a nossa disposição.


Os princípios de causa e efeito regem as nossas existências, e as doenças são originadas de passado remoto, de pretéritas existências e também da vida atual. E é na vida atual que se origina a maior parte dos problemas de saúde, com fatores decorrentes no passado, assim originando-se de comportamentos inadequados perante o corpo físico na vida atual, desta forma as doenças presentes são de “mal uso” do corpo físico.

As doenças de existências passadas são de abuso, surgindo a partir da composição genética na reencarnação, sendo reflexo de graves comprometimentos como erros, vícios, crime... Esses fatos funcionam como um canal para autênticos “tumores da alma” nascidos pela falta de prudência, de moral, de atos que denigrem a si mesmo e a outros, no pretérito, estando assim em processo depurativo por meio de doenças. Pois, tais atos inferiores atingem o perispírito, que fica doente, se refletindo no corpo físico como doenças.


A pessoa trazendo desajustes espirituais, que dão origem ou desenvolvem as doenças graves, como tumores, está depurando a alma, segundo as Leis Universais da Justiça Divina. O exemplo que usamos aqui é o do tumor, assim o resgate está no tumor que surge. A função da medicina é abreviar o sofrimento do paciente, livrando-o o mais rápido possível das dores que envolvem essa depuração. E no caso da interferência da medicina de curar um mal sem que o processo depurativo se tenha completado, a causa de origem permanece, nisto novos tumores surgirão, retomando a depuração física, até a depuração se completar. O mesmo acontece com os tumores da alma.

Outro exemplo que podemos usar é o da hipertensão arterial, em relação a vidas passadas pode ter a sua causa no comportamento bilioso, de mau gênio. E em relação a atual existência é mais provável que seja em decorrência do mal uso e falta de cuidado com o corpo físico, como o sedentarismo, os abusos com a alimentação...

Sendo o corpo físico nosso instrumento de vivencia no mundo material, temos que ter o máximo de cuidado com ele, cuidar da saúde e ter atitudes e sentimentos dignos e elevados, pois Deus nos o emprestou para passar pelas experiências no mundo material, e devolve-lo para a natureza em condições boas depois do desencarne é o nosso dever. Assim estaremos cada vez mais depurados de imperfeições físicas e cada vez mais evoluindo.  



Para ler sobre as más paixões, acesse o link: 
http://jardim-espirita.blogspot.com.br/2013/10/post83-as-mas-paixoes.html

Fonte de inspiração para a postagem:
Richard Simonetti
O Evangelho Segundo o Espiritismo 

segunda-feira, 17 de março de 2014

Post. 129: CHAVES LIBERTADORAS

     Nesta mensagem do espírito André Luiz, ele nos leva a reflexão das circunstâncias que o desgosto, o obstáculo, a decepção, a enfermidade, a tentação, o prejuízo, a ingratidão e a desencarnação, que são fatores que trazem tristeza e desanimo para o viver, podem servir para o bem e a compreensão para a nossa experiência na matéria, e assim  nos impulsionar para as melhores diretrizes, e jamais nos acomodarmos e viver na inércia e aceitar as coisas desagradáveis que acontece. Devemos buscar o entendimento dos fatos e os contornar da melhor maneira possível. Por isso que precisamos de chaves libertadoras em nossa vida:


Chaves Libertadoras

DESGOSTO
Qualquer contratempo aborrece.
No entanto, sem desgosto, a conquista de experiência é impraticável...

OBSTÁCULO
Todo empeço atrapalha.
Sem obstáculo, porém, nenhum de nós consegue efetuar a superação das próprias deficiências.

DECEPÇÃO
Qualquer desilusão incomoda.
Todavia, sem decepção, não chegamos a discernir o certo do errado.

ENFERMIDADE
Toda doença embaraça.
Sem a enfermidade, entretanto, é muito difícil consolidar a preservação consciente da própria saúde.

TENTAÇÃO
Qualquer desafio conturba.
Mas, sem tentação, nunca se mede a própria resistência.

PREJUÍZO
Todo o golpe fere.
Sem prejuízo, porém, é quase impossível construir segurança nas relações uns com os outros.

INGRATIDÃO
Qualquer insulto à confiança estraga a vida espiritual.
No entanto, sem o concurso da ingratidão que nos visite, não saberemos formular equações verdadeiras nas contas de nosso tesouro afetivo.

DESENCARNAÇÃO
Toda morte traz dor.
Sem a desencarnação, porém, não atingiríamos a renovação precisa, largando processos menos felizes de vivência ou livrando-nos da caducidade no terreno das formas.

Compreendemos, à face disso, que não podemos louvar as dificuldades que nos rodeiam, mas é imperioso reconhecer que, sem elas, eternizaríamos paixões, enganos, desequilíbrios e desacertos, motivo pelo qual será justo interpretá-las por chaves libertadoras, que funcionam em nosso espírito, a fim de que nosso espírito se mude para o que deve ser, mudando em si e fora de si tudo aquilo que lhe compete a mudar.


Fonte: Livro Paz e Renovação, pelo Espírito André Luiz, psicografia Francisco C. Xavier. 



domingo, 16 de março de 2014

Post. 128: EXPERIÊNCIA DE QUASE MORTE

A experiência de quase morte (EQM) se dar quando o indivíduo é pronunciado clinicamente morto ou muito perto da morte, e se refere a um conjunto de visões e sensações frequentemente associadas a situações de uma morte iminente. Desconforto no inicio, mudança no estado de consciência, contato com outro plano existencial e suspensão dos  sintomas físicos são alguns dos quadros psicológicos dos pacientes.


A experiência e as sensações
Nesta situação alguns indivíduos escutam o médico declarar sua morte;
Podendo vivenciar a “experiência do túnel”, alguns descrevem esta experiência como passar por um túnel escuro com uma luz ao final, que em geral levam a um local celeste e/ou ao encontro com parentes e amigos desencarnados ou com uma presença amiga que não sabem quem é ou identificar;
Tendo uma capacidade de percepção mais aguçada;
Ou ficam observando o seu corpo físico;
Experiência de flutuar fora do corpo;
Podem ver e conversar com entes ou amigos já desencarnados;
Sentem sensação de paz profunda e de amor incondicional;
Convicção da realidade espiritual;
Já outras pessoas narram que reviram fatos ocorridos em sua vida, tanto bons como ruins.
A maioria descreve a experiência como positiva, entretanto há alguns relatos de experiência de quase morte que foram consideradas negativas, vivenciando uma sensação de perda, de vazio, de medo e até mesmo de estar em um ambiente “infernal”.

As pessoas que passam por esta experiência se dar conta que os momentos terminais da existência física não são tão angustiantes quanto pensavam; o medo da morte diminui e passam a acreditar na vida após a morte; o interesse religioso aumenta;  diminui o desejo do sucesso, de ser e se sentir aprovado pelos outros; podem alterar de forma permanente as suas atitudes, as crenças que acreditam, os seus valores ampliam; passam a acreditar na espiritualidade; passam a dar mais atenção as outras pessoas, valorizar a vida; e a diminuição do materialismo e da competitividade também acontecem.

No entanto, muitas vezes essas pessoas que passam por uma experiência de quase morte sofrem, pois tem medo de falar aos familiares, amigos e médicos o que viram e o que sentiram, com receio de serem ridicularizados, ou rejeitados, ou serem tomados como “loucos”, ou “doentes”, ou por tal experiência está contra o que prega a sua religião, o que os desencorajam à procurar ajuda para compreender melhor a experiência de quase morte; outros sentem dificuldades em se reintegrarem ao circulo familiar e de amizade, porque assumem novas posturas que vão contra aquelas do meio social e religioso nos quais viviam.

A experiência de quase morte é mais uma oportunidade Divina, um chamamento de Deus para uma reflexão mais completa sobre a vida, o que realizou ou deixou de fazer. Senão tinham uma abertura espiritual, passam a acreditar na espiritualidade por meio da própria experiência, buscando um novo sentido para a vida, uma nova oportunidade de recomeçar, como melhor aplicar as potencialidades Divinas. As vezes, para algumas pessoas é preciso um “reset” mais complexo como a experiência de quase morte,  para se dar conta das diretrizes que esta dando na vida. Já para outras um exame de consciência, uma  auto analise já é o bastante para tomar novos rumos para sua vida, pois cada dia é uma nova oportunidade de recomeçar sem experiências mais complexas com a experiência de quase morte.

 As seguintes perguntas do O Livro do Espíritos explica a experiência de quase morte:

157. No momento da morte, a alma sente, alguma vez,qualquer aspiração ou êxtase que lhe faça entrever o mundo onde vai de novo entrar?
“Muitas vezes a alma sente que se desfazem os laços que a prendem ao corpo. Emprega então todos os esforços para desfazê-los inteiramente. Já em parte desprendida da matéria, vê o futuro desdobrar-se diante de si e goza, por antecipação, do estado de Espírito.”

374. Na condição de Espírito livre, tem a pessoa consciência do seu estado mental?
“Frequentemente tem. Compreende que as cadeias que lhe obstam ao vôo são prova e expiação.”

407. É necessário o sono completo para a emancipação do Espírito?
“Não; basta que os sentidos entrem em torpor para que o Espírito recobre a sua liberdade. Para se emancipar, ele se aproveita de todos os instantes de trégua que o corpo lhe concede. Desde que haja prostração das forças vitais, o Espírito se desprende, tornando-se tanto mais livre, quanto mais fraco for o corpo.”
Assim se explica que imagens idênticas às que vemos, em
sonho, vejamos estando apenas meio dormindo, ou em simples
modorra.

424. Por meio de cuidados dispensados a tempo, podem reatar-se laços prestes a se desfazerem e restituir-se à vida um ser que definitivamente morreria se não fosse socorrido?
“Sem dúvida e todos os dias tendes a prova disso. O magnetismo, em tais casos, constitui, muitas vezes, poderoso meio de ação, porque restitui ao corpo o fluido vital que lhe falta para manter o funcionamento dos órgãos.”
A letargia e a catalepsia derivam do mesmo princípio, que é
a perda temporária da sensibilidade e do movimento, por uma
causa fisiológica ainda inexplicada. Diferem uma da outra em
que, na letargia, a suspensão das forças vitais é geral e dá ao
corpo todas as aparências da morte; na catalepsia, fica localizada,
podendo atingir uma parte mais ou menos extensa do corpo,
de sorte a permitir que a inteligência se manifeste livremente, o
que a torna inconfundível com a morte. A letargia é sempre
natural; a catalepsia é por vezes magnética.

segunda-feira, 10 de março de 2014

Post. 127: ESTADO DE COMA, SEGUNDO O ESPIRITISMO

            O estado de Coma, cujo corpos ficam meses e até mesmo anos em estado vegetativo, pode ser um resgate de alguma falta para o indivíduo e sua família. O paciente estando preso ao corpo, sem poder voltar para vida material, ou seguir em definitivo para a vida espiritual; e a família com a responsabilidade de dar assistência ao doente, e sendo de extrema importância que essa assistência seja de boa vontade, com dedicação, amor, sem questionar o passado, para poder construir um futuro de bênçãos e sem débitos referente a tal resgate de ambas as partes. 


Mas, aonde e como fica a situação do espírito durante o coma?
O estado de coma, é uma situação parecida com a do sono, em O Livro dos Espíritos, os Espíritos Superiores nos informa que durante o sono a alma se liberta parcialmente do corpo, dispondo de uma relativa liberdade, pode estar distante do seu corpo carnal, mas estando sempre ligado a seu corpo pelo cordão (ou laços)  fluídico ou energético, enquanto seu corpo físico tiver vida orgânica.
O Espiritismo nos esclarece que depende do grau evolutivo de cada um, para saber aonde o espírito fica durante o Coma. Se a pessoa for muito apegada ao mundo material, ao seu corpo, aos seus bens, e que não se conforma com a situação que está vivenciando, o espírito fica junto do corpo ou aprisionado a ele, não se afastando até que permita que Benfeitores Espirituais o ajudem. Se for um espírito com mais entendimento e/ou mais elevado, enquanto é tratado, ele pode se deslocar pelas dimensões espirituais, visitando lugares e espíritos afins, muitos aproveitam tal liberdade para aprender. Mas, em qualquer das situações, o Plano Espiritual sempre estende seus esforços na tentativa de auxílio; e para que tenha maiores condições ao trabalho dos benfeitores espirituais, tanto para o enfermo como para os familiares e médicos, é necessário e de extrema importância o uso da prece, manter o equilíbrio, palavras sinceras e fraternas, transmissão de paz, manter conversas edificantes...
Se a família, amigos e médicos conversam com o paciente em estado de Coma, muitos terão a capacidade de ouvir e ver, sem poder ter a capacidade de dar a resposta. No entanto, quando a Espiritualidade Superior permite, estes espíritos em estado de coma pode comunicar-se com médiuns e relatar tudo o que está sentindo e vivenciando ou ainda comunicar-se via pensamento ou intuição com aqueles que estão ao seu redor e tem esta sensibilidade mediúnica, e transmitir assim seus recados.

Em muitas circunstancias, pessoas saídas do Coma narram as paisagens e os contatos com seres que os precederam na passagem para a vida espiritual. É comum que após essas experiências elas passem a ver a vida de uma maneira diferente, reavaliando seus valores íntimos, para trabalhar no melhoramento de alguma tendência inferior.

Deus não permite que passamos por situações que não sejam e que não tragam algum bem para nossa vida, de algum “mal” se pode extrair o bem, absolutamente tudo tem um porque de acontecer, e nada é um acaso, e o que se pode tirar de fatos como  este do Coma é a reflexão da vida, e fazer uma auto-análise para ver que rumo a vida está sendo levada, e se não é para um caminho satisfatório ao bem, ter a humildade de reconhecer e começar a melhorar. Deus ver esperança e futuro aonde vermos o fim, e possibilita enxergamos a verdadeira realidade da vida, a vida espiritual. 

"Não espere por uma crise para descobrir o que é importante 
em sua vida."       (Platão)

segunda-feira, 3 de março de 2014

Post. 126: VENCERÁS

Não desanimes.
Persiste mais um tanto.
Não cultives pessimismo.
Centraliza-te no bem a fazer.
Esquece as sugestões do medo destrutivo.
Segue adiante, mesmo varando a sombra dos próprios erros.
Avança ainda que seja entre lágrimas.
Trabalha constantemente.
Edifica sempre.
Não consintas que o gelo do desencanto te entorpeça o coração.
Não te impressione a dificuldade.
Convence-te de que a vitória espiritual é construção para o dia a dia.
Não desistas da paciência.
Não creiais em realização sem esforço.
Silêncio para a injúria.
Esquecimento para o mal.
Perdão às Ofensas.
Recorda que os agressores são doentes.
Não permitais que os irmãos desequilibrados te destruam o trabalho ou te apaguem a esperança.
Não menosprezes o dever que a consciência te impõe.
Se te enganastes em algum trecho do caminho, reajusta a própria visão e procura o rumo certo.
Não contes vantagens, nem fracassos.
Estuda buscando aprender.
Não te voltes contra ninguém.
Não dramatizes provocações ou problemas.
Conserva o hábito da oração para que se te faça luz na vida intima.
Resguarda-te em Deus, persevera no trabalho que Deus Te confiou.
Ama sempre fazendo pelos outros o melhor que possas realizar.
Age auxiliando, serve sem apego.
E assim vencerás.

Emmanuel (espírito)
Psicografia de Chico Xavier  


domingo, 2 de março de 2014

Post. 125: OLHO ÀS “ESTRELAS”

Olhos às “Estrelas”...

E as contemplo...

Quantas vidas há em cada uma delas !?!

E todas as moradas abençoadas por Deus, que os meus olhos não alcançam.

Deus, O Arquiteto do Universo, não dono, porque ser dono é possuir, e isto, é materialismo. Mas um deus que é Pai.

No Seu Infinito Amor de Pai, Construiu e Constrói infinitas moradas, por todo o Universo, de acordo com que cada filho Seu Necessita, desde mundos primitivos, até os inenarráveis mundos evoluídos.

Um Pai que zela, por todos os tipos de vida, desde de vidas ainda em estado de átomo, até o ultimo estagio evolutivo.

Olho às “Estrelas”...

E sei que em algumas delas tem algum ser contemplando o planeta que está me acolhendo, assim como estou contemplando o seu.

E por um momento estamos conectados...

Divinamente

Seres com entendimentos diferentes, em mundos diferentes, em evolução diferentes...

Mas cuidados e acolhidos pelo mesmo Deus

Um Deus que vive dentro de cada um, embora muitas vezes de uma maneira diferente, em todas as partes do Universo .

Um Pai que é Capaz de Conectar todos os Seus Filhos

Um Pai Que É Tudo

Um Pai Tão Presente

Criador do Tempo, o Tempo exclusivo para cada mundo, nunca igual

No entanto, ainda não somos capazes de conhecer a Essência deste Pai, devido a nossa pequenez, não podemos alcançar ainda a compreensão da Sua Magnitude de Amor

Mas olho às “Estrelas”, a natureza que a Terra oferece, as pessoas, e posso começar a deslumbrar Deus

Fazemos parte de algo tão grande e tão complexo que não temos a inteligência ainda para compreender, porque estamos no inicio da nossa evolução  

Não existe palavras em nosso vocabulário atual para definir Deus

Tudo foi, tudo é, e será criado...

Menos Deus.

Eu continuo olhando às “estrelas”...

E você?


Por Jardim Espírita.