Translate

sábado, 28 de fevereiro de 2015

2 ANOS DE JARDIM ESPÍRITA


Hoje, 28 de fevereiro de 2015, o blog Jardim Espírita está fazendo 2 anos. E a palavra perfeita para o dia de hoje é gratidão. Gratidão a Deus por permitir este pequeno trabalho para a Doutrina Espírita, gratidão a Jesus por seus ensinamentos, gratidão aos amigos iluminados espirituais pelas inspirações, e gratidão a todos os leitores que passam pelo Jardim Espírita.

É com alegria que percebo que estamos juntos durante todo o tempo, seja nos dias normais ou nos feriados, como passar natal e réveillon como vocês fazendo um pouco de companhia, como também nas madrugadas que estamos juntos por meio do Jardim Espírita. É sempre um grande aprendizado para mim. E é com grande amor que recebo cada um de vocês.

Agradeço os acessos ao blog Jardim Espírita. Que Deus nos permita continuar este pequeno trabalho por muito tempo, com a mesma dedicação e entusiasmo do inicio. Espero sempre vocês aqui no Jardim Espírita, e espero que vocês venham até aqui para aprender, harmonizar-se com preces e mensagens, encontrar  força, entusiasmo, alegria, esperança...
Agradeço ao amigo leitor.
Amor à todos!

Que os espíritos benevolentes estejam sempre ao nosso lado.
Que Deus nos abençoe. E que Jesus nos ampare sempre.
Paz, luz e harmonia.
Jardim Espírita. 

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

Matéria de Divaldo Pereira Franco no programa Fantástico da TV Globo

          Ontem, dia 22 de fevereiro de 2015, foi ao ar uma matéria com Divaldo Pereira Franco no programa Fantástico da TV Globo. Foi uma linda e emocionante matéria; e com um sentimento de despedida, de um até logo, como nós espíritas sabemos. Mostrando todo o resultado da vida de trabalho de Divaldo, voltado para o amor ao próximo, para o trabalho de iluminação, para o bem... E sempre com o seu bom humor e sorriso no rosto.
          Coloco abaixo o vídeo da matéria, e o link do site do Programa do Fantástico. Para quem viu é ótimo ver novamente e para quem não viu sintam-se a vontade para acompanhar está linda e inspiradora matéria sobre Divaldo, que foi feita de uma forma imparcial. Vamos ao play?!:


         O repórter da TV Globo, Marcelo Canellas quer esteve e fez a matéria com Divaldo, deu o seguinte depoimento:
Marcelo Canellas
Brasília/DF
"Não sou espírita, nem acredito em reencarnação, mas um homem que dedica a vida a uma obra social que tirou 160 mil pessoas da pobreza absoluta ao longo de 60 anos merece respeito. A reportagem que eu, Lúcio Alves e Júnior Predes fizemos com o médium Divaldo Franco mostrará que ele não deu apenas pão aos pobres. Ofereceu escola, profissão e dignidade a algumas das famílias mais miseráveis da periferia de Salvador sem perguntar a religião de ninguém. Quem puder, assista."

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015

Post.194: EMMANUEL

O espírito Emmanuel foi o guia espiritual de Francisco Cândido Xavier, o Chico Xavier. Juntos tiveram a missão de divulgar a Doutrina Espírita, de acordo com os propósitos superiores. A partir da década de 30 responsabilizou-se Emmanuel pela mais ampla produção bibliográfica da história da língua portuguesa e pela supervisão da grande produção mediúnica de Francisco Cândido Xavier. O trabalho de ambos resultou em um grande acervo de informações e conhecimentos , muitos dos quais traduzidos para diversos idiomas, sendo romances históricos,  livros de interpretação bíblica, aconselhamento espiritual, dentre outras temáticas. E os direitos autorais sempre foram cedidos para instituições de caridade.
Vejamos as encarnações conhecidas de Emmanuel na Terra, vidas de superação, de aprendizagem, para depois ser de trabalho pelo próximo,de vivência evangélica:

1ª encarnação:
Simas, Grão-Sacerdote do Egito
Século IX A.C.
Esta é a primeira encarnação de Emmanuel conhecida na Terra, como Grão-sacerdote do templo de Ámon-Rã em Tebas, no Egito. Foi reitor da escola Tanis e pai da futura rainha Samura-Mat, ou Semíramis, do império da Assíria, da Babilônia, do Súmer e do Akad. Viveu no século IX antes de Cristo e sua história é descrita na obra de Camilo Rodrigues Chaves, cujo título é Semíramis: rainha da Assíria, da Babilônia e do Súmer (LAKE, 1995).



2ª encarnação:
Cônsul Públio Cornelius Lentulus Sura
Século II e I A.C.
Cônsul à época de Lucius Sergius Catilina, conspirador e inimigo de Sulla e Cícero, condenado à morte no ano 63 a.C. Partidário e amigo particular de Lucius Sergius Catilina, tentou apoiá-lo várias vezes a conquistar o consulato, inclusive cerrando fileiras com a parceria dos lideres democratas César e Crasso. Esperavam aprovar um projeto pelo tribuno Sérvio Rulo, que afirmava, em escala bem mais ampla, a lei agrária de Caio Graco. Tinha como inimigos a oposição do Senado e a perseverança de Marco Túlio Cícero, que acabou sendo eleito para o consulato, derrotando as pretensões da Lei de Rulo em 63 a.C. Com o inevitável, Catilina perdeu o apoio de César e de Crasso, iniciando, ao lado de Públio Lentulus Sura, uma anárquica revolta, simultânea em Roma e na Etrúria. Pretendiam o massacre dos magistrados e senadores, ateando fogo à cidade de Roma e assumindo o seu controle, enquanto os veteranos de seu aliado, Sila, marchariam da Etrúria para tomar a cidade e organizar um novo governo. Descoberta a conspiração, graças à vigorosa ação de Marco Túlio Cícero, Catilina foi expulso de Roma, enquanto os seus  partidários mais diretos, dentre os quais Públio Lentulus Sura, foram presos em Roma e executados sem julgamento por proposta de Catão, o moço, apoiado por Marco Túlio Cícero e com a aprovação do Senado. Finalmente, o exercito de Catilina foi derrotado e ele tombou na batalha. Públio Lentulus Cornelius Sura foi o segundo esposo de Julia, mãe do conhecido General Marco Antônio, que, anos mais tarde, participaria do segundo triunvirato romano junto com lépido e Otávio.
No livro Há Dois Mil Anos, ficamos sabendo que Publuis Lentulus Cornelius Sura era um homem cruel, infligia aos inimigos políticos o suplicio da cegueira, por meio de ferro incandescente. Tendo falecido por meio de estrangulamento na Revolução de Catilina.
Publuis Lentulus Cornelius Sura era bisavó paterno do senador romano Públio Lentulus Cornelius.



3ª encarnação
Senador Públio Lentulus Cornelius
Época do Cristo
      Senador romano que exercia funções legislativas e judiciais, de acordo com os direitos de descendência de antiga e tradicional família de senadores e cônsules da república. Unido em matrimônio com Lívia, teve dois filhos: Flávia Lentúlia e Marcus. Fora o legado romano do imperador Tibério César na província da Palestina, à época das pregações de Jesus em Cafarnaum da Galileia, comissionado para investigar as acusações de corrupção que pesavam contra o governador Pôncio Pilatos.
      No livro Há Dois Mil Anos, ficamos sabendo que Publius Lentulus foi um senador romano muito atuante no cenário político de Roma, desde a sua juventude até a sua velhice. Morou cerca de 20 anos entre Jerusalém e a Galileia, próximo a Cafarnaum. Participou nos bastidores do julgamento de Jesus, esteve na destruição de Jerusalém, e em várias outras cenas políticas que decidiram rumos do império romano.
     Publius Lentulus chegou a se encontrar pessoalmente com Jesus, lhe rogando a cura da filha Flavia Lentúlia, que sofria na época de sua infância de lepra. E Jesus curou a filha do Senador Publius Lentulus, pela fé que Lívia tinha em Jesus. E ainda Jesus advertiu Publius Lentulus de seguir pelo caminho da humildade para não ter uma vida de sofrimento.
      A grande questão da vida de Publius Lentulus era vencer a si mesmo, pois era um homem com extremo orgulho, vaidade, arrogância... chegando até mesmo incriminar a sua esposa Lívia inocente de traição, com Pôncio Pilatos. Lívia foi uma mulher extraordinária, deixou de lado toda a sua tradição familiar, e nível social para seguir a Jesus Cristo, renunciou a tudo. Lívia foi uma das pessoas que foram os primeiros cristãos, e chegou ao fim da vida, morta em coletividade com outros cristãos, no circo de uma das festas de Nero.
      E foi depois da morte de Lívia que Publius Lentulus entregou seu coração a Jesus, compreendendo a grandeza dos ensinamentos do Mestre.
      A vida de Publius Lentulus foi de grandes sofrimentos, como havia avisado Jesus, na destruição de Jerusalém veio a ficar cego, como circunstâncias do destino, para pagar dividas da sua existência passada como o Cônsul Públio Cornelius Lentulus Sura em que cegava seus inimigos por meio de ferro em brasa.
 Publius Lentulus veio desencarnar no ano de 79 d.C. em Pompeia quando o vulcão Vesúvio, entrou em erupção e acabou com toda a cidade. Nos momentos finais da sua vida, Publius Lentulus lembrou das palavras que Jesus havia lhe falado no encontro de décadas atrás na Galileia que, “Toda a grandeza romana era bem miserável e num minuto breve poderia o império ser reduzido a um punhado de pó.”

            Este retrato do espírito Emmanuel foi feito pelo pintor mineiro Delpino Filho. Chico Xavier informou que o espírito não “posou” para o pintor. Na verdade, o artista foi auxiliado por um pintor desencarnado, que era amigo de Emmanuel. O médium afirmou que o retrato produzido é fiel ao benfeitor, quando na personalidade do senador romano Publius Lentulus Cornelius. O único detalhe que poderia ser corrigido no retrato se refere aos lábios, que são na realidade mais estreitos e masculinos. A pintura original se encontra na sede do Grupo Espírita Luiz Gonzaga, em Pedro Leopoldo, numa sala de preces, feitas no quarto onde Chico nasceu, em 1910.



4ª encarnação
Escravo Nestório
Século I
Depois de 50 anos de sua vida como o senador Publius Lentulus, reencarna na condição de escravo, chamado Nestório. De origem judia, apesar de nascido em Éfeso, Grécia. Criou-se às margens do Mar Egeu, onde constituiu família. Chegou a ouvir, na infância, as pregações de João Evangelista, tendo colaborado com ele na evangelização da Ásia Menor.  Foi escravizado por romanos na Judéia, e posteriormente liberto. Em sua vida como escravo dedicou-se  ao aprendizado do Evangelho. Vivendo uma vida digna, e dirigida para o bem. Tinha um filho, de nome Ciro. Ambos chegaram a morte física sendo martirizados no circo romano ao tempo da perseguição aos adeptos do Cristianismo, durante reinado de Élio Adriano. Nesta vida como escravo, Nestório vivenciou a lei de causa e efeito, para aprender sobre humildade.



5ª encarnação
Filósofo  Basílio
Século III
          Esta história da vida do Espírito Emmanuel está no livro Ave, Cristo!
          Romano, filho de escravos gregos, pelo ano de 233 vivia em Chipre como liberto, dedicando-se a estudos filosóficos. Foi casado com a escrava Júnia Glaura, com quem teve uma filha, ambas mortas precocemente. Em Chipre, a vida lhe deu uma outra filha, esta sendo adotiva, Lívia, encontrada abandona em uma estrada, para a qual viveu até o fim de seus dias. Para criar Lívia, tornou-se afinador de instrumentos musicais, transferindo-se para Marselha, onde a educou. Desencarnou supliciado em Lyon, ao tempo do governo de Treboniano Galo nas Gálias, após a perseguição aos cristãos da igreja local.



6ª encarnação
Bispo de Reims | São Remígio
Séculos V e VI
De família nobre e religiosa, nasceu Remígio na cidade de Lyon, em 439. Inteligente, talentoso e disciplinado, foi considerado o maior orador sacro do reino dos francos pela sua especialidade em retórica. Era distinguido por sua pureza de espírito, seu grande amor a Deus e ao próximo, e pela fé ardente. Foi eleito Bispo de Reims ainda muito jovem, onde permaneceu por 60 anos, sendo considerado o apóstolo dos pagãos nas Gálias. Foi o grande conselheiro e, ao lado da rainha Clotilde, responsável pela conversão de Clóvis I, o primeiro rei dos francos, depois de suas vitórias sobre os povos da Gália.  Pelo seu árduo e ininterrupto trabalho de evangelização, fortaleceu os alicerces do Cristianismo no território francês. Ensinava não somente aos reis e príncipes, mas também aos camponeses e a todos os súditos do novo reinado. Desde a sua morte, em janeiro de 535, aos 96 anos de idade, foi aclamado pela população humilde como um santo. Mais tarde, considerado santo pela Igreja Católica Romana com o nome de São Remígio, teve o seu dia consagrado, o dia 3 de outubro. Em 1853, quando reconheceram o seu túmulo, seu corpo foi encontrado ainda intacto, onde até hoje é visitado na Abadia Beneditina de Reims.
Entre os seus ditos e ensinos, podemos destacar como dois de seus lemas: “Sê paciente e perseverante nas provações!” e “Sê corajoso em empreender o bem!”



7ª encarnação
Padre Manoel da Nóbrega
Século XVI
Nascido em 18 de outubro de 1517, em Sanfins do Douro, entre Douro e Minho, norte de Portugal. Em Salamanca estudou Humanidades, na Universidade local, e em 1541 bacharelou-se em cânones em Coimbra. Ingressou na Companhia Jesuíta em 1544, onde foi incumbido de chefiar a primeira missão, em Terras de Santa Cruz, justamente com mais cinco companheiros. Padre Manoel da Nóbrega foi um dos grandes lutadores, de grande iluminação e legitimo missionário de Jesus, conhecedor da verdadeira natureza do homem e de Deus.
Aportou na Bahia em 29 de março de 1549 e fundou uma igreja, na qual foi o seu pároco, entregando-se de corpo e alma, levando a palavra e meiga de Jesus aos nativos.
                Criou desde logo um método pedagógico e didático, com a instrução elementar e secundária. O seu trabalho foi de tamanha elevação que foi contrário aos pseudos-valores dos colonizadores. Estes, revoltaram-se e desencadearam forte oposição, sendo obrigado a intervir o Rei de Portugal – D. João III – criando um bispado para que a catequese fosse investida de maior autoridade e força. Já o padre Manoel da Nóbrega respeitou sempre os valores, usos e costumes do povo colonizado. Aconselhava, mas, sem impor. Recusando-se a cumprir atos de violência, gerou graves desavenças com o novo bispo, D. Pero Fernandes (sendo também o primeiro bispo do Brasil). Nos finais de 1552, padre Manoel da Nóbrega foi obrigado a abandonar Salvador e partiu para a capitania de São Vicente, onde em 1553 fundou a aldeia de Piratininga e nela, o Colégio de São Paulo, dando origem e sendo o fundador da atual cidade de São Paulo. Em 1553 fundou nova igreja, em Maniçoaba, uma pequena aldeia, além de uma confraria, com o nome Menino Jesus, que era constituída por crianças órfãs de portugueses, escravos e indígenas. Isso tudo independente de costumes, etnias ou diversidade de populações. Continuando sua notável missão, fundou mais residências com esse propósito, gerando grande confusão para os colonos e seus superiores. Em 1559 foi demitido do cargo de provincial, devido ao seu heroico comportamento, onde lutava firmemente contra a escravidão dos nativos, propondo a igualdade dos povos e a luta contra a exploração do homem pelo homem. Nada apreciado pelos seus superiores.
                Em 1565, a Rainha D. Catarina encarregou Estácio de Sá, administrador e militar que supervisionava as terras brasileiras, de fundar uma nova colônia, com a participação dos jesuítas do qual o padre Manoel da Nóbrega foi o primeiro superior máximo desta nova povoação, que hoje tem o nome da cidade do Rio de Janeiro. Estendeu a sua jurisdição a outras cidades; Santos, Piratininga, Espírito Santo, São Vicente, sendo também fundador da cidade de Salvador, a primeira capital do Brasil.
                Escreveu “Terras do Brasil”, “Cartas da Bahia e de Pernambuco”, publicadas em Veneza entre 1559 a 1570.     
Padre Manoel da Nóbrega desencarnou em 18 de outubro de 1570, no dia em que completava 53 anos, no Rio de Janeiro.  



8ª encarnação
Padre Damiano
Século XVII
Nascido em 1613, na Espanha. Aos 50 anos, residia em Ávila, Castela-a-Velha, oficiando na Igreja de São Vicente. À época da instauração do Santo Ofício, revelou ideias diferentes, combatendo o fanatismo da Igreja Católica e as injunções políticas da Inquisição. Acreditava na imortalidade da alma e na pluralidade das existências e, embora envergando o labor no ministério católico, abraçava, no íntimo, as premissas da Doutrina Espírita, antes mesmo de seu aparecimento, no século XIX. Desencarnou no Prebistério de São Jaques do Passo Alto, no burgo de São Marcelo, em Paris, em idade avançada.



9ª encarnação
Educador Jean Jacques Turville
Século XVIII
Educador da nobreza e prelado católico romano no período que antecede à Revolução Francesa. Viveu na região norte da França até a época do recrudescimento do Terror, quando decidiu fugir da ferocidade revolucionária, encaminhando-se para a Espanha, onde passou a viver até a morte.



Emmanuel, espírito integrante da falange do Espírito da Verdade
Século XIX
Emmanuel, como espírito liberto integrante da falange do Espírito da Verdade, encarregada pelo Cristo de inaugurar no mundo o advento do Consolador, colaborou ativamente no plano espiritual na estrutura da codificação espírita de Allan Kardec, tendo, inclusive, escrito a mensagem intitulada “O EGOÍSMO”, inserida no item 11 do Capítulo XI de O Evangelho Segundo o Espiritismo, em que menciona a figura de Pôncio Pilatos.



10ª encarnação
Padre Amaro, Sacerdote no Brasil
Séculos XIX e XX
Humilde sacerdote católico romano encarnado no último quartel do século XIX, no Estado do Pará, Brasil, com a finalidade de se mergulhar mentalmente na língua portuguesa contemporânea, preparando-se para a missão que lhe seria confiada no vindouro século XX. Reencarnou em abastada família paraense, de origem mulata, e depois de sagrado sacerdote dirigiu-se à cidade do Rio de Janeiro onde passou a dedicar-se à condução da pregação do Evangelho de Jesus, reunindo naquela pequena paróquia milhares de ouvintes de todos os bairros do Rio de Janeiro, que faziam questão de chegar muito cedo para ouvi-lo assentados. Nesta ocasião, travou particular conhecimento com o insigne médico Dr. Adolfo Bezerra de Menezes, com quem conversou abertamente sobre a codificação espírita. Segundo informação de Chico Xavier, ele pediu esta reencarnação por ter necessidade interior de recolhimento, para ficar esquecido das personagens de destaque que, historicamente, vinha vivenciando nas suas diversas etapas reencarnatórias, a fim de ter tempo e silêncio para meditar e estudar convenientemente o Evangelho do divino Mestre. Seu retrato, ainda há pouco tempo, encontrava-se na sacristia da referida igreja no bairro carioca de Bonsucesso. Viveu pouco na Terra, retornando à pátria espiritual nas primeiras décadas do século XX, a tempo de assumir a condução espiritual da tarefa que lhe estaria afeita por determinação de Jesus, guiando a missão psicográfica do médium Francisco Cândido Xavier, em Pedro Leopoldo | MG, para quem aparece, inicialmente, em 1931. No livro Notáveis Reportagens com Chico Xavier, de Hércio Marcos Cintra Arantes, IDE, capítulo 32, páginas 183-184, há uma interessante mensagem psicografada por Chico, em 15 de maio de 1934, em que o benfeitor Emmanuel relata a sua própria desencarnação nesta época, com sua consequente chegada ao Mundo Maior.



Emmanuel, Espírito responsável pela obra mediúnica de Chico Xavier
Século XX
 É o espírito responsável por um grande trabalho missionário. Trabalho este  de relevante e inegável valor, doutrinário e literário, devido ao dinamismo espiritual de Emmanuel.
Seus livros tratam dos mais variados temas, em feliz abordagem dos mais complexos e transcendentes assuntos, num estilo transparente e comunicativo, entre belezas de simplicidade e de sentimento. Sábio condutor de almas, sua palavra de luz se tem dirigido, sem distinções, a todos os que lhe batem à porta do coração, em dádivas de paz, de esclarecimento e bom-ânimo,  do espírito evangélico. É ele o supervisor, o coordenador de toda a obra literário-mediúnica de Chico Xavier.



Nova reencarnação
Século XXI
 “Conforme atestam várias pessoas que conviviam na intimidade com o médium Chico Xavier, por afirmativas dele mesmo, o espírito do benfeitor Emmanuel já está entre nós, na face da Terra, pela via da reencarnação. Um destes depoimentos, da Sra. Suzana Maia Mousinho, presidente e fundadora do Lar Espírita André Luiz (LEAL), de Petrópolis | RJ, amiga do médium desde 8 de novembro de 1957, Francisco Cândido Xavier lhe confidenciou detalhes sobre a reencarnação de Emmanuel, que voltaria à Terra no interior do Estado de São Paulo, no seio da família constituída pelo casal D. Laura e Sr. Ricardo, personagens do livro Nosso Lar, de André Luiz. Tempos depois, novamente o estimado médium Chico Xavier tornou a tocar no assunto em pauta com D. Suzana, afirmando ter presenciado o retorno à vida física de seu benfeitor no ano de 2000, vendo, então, confirmadas as previsões espirituais a respeito. Este fato está em sintonia com depoimentos públicos do médium mineiro em três ocasiões distintas, veiculados em dois de seus livros publicados, a saber:
a) no livro Entrevistas, (IDE, 1971), quando, respondendo à questão 61, sobre a futura reencarnação de Emmanuel, Chico Xavier disse: “Ele (Emmanuel) afirma que, indiscutivelmente, voltará à reencarnação, mas não diz exatamente o momento preciso em que isso se verificará. Entretanto, pelas palavras dele, admitimos que ele estará regressando ao nosso meio de espíritos encarnados no fim do presente século (XX), provavelmente na última década”,
b) também no livro A Terra e o Semeador, (IDE, 1975), quando, respondendo à pergunta de número 33, Chico Xavier disse: “Isso tem sido objeto de conversações entre ele (Emmanuel) e
nós. Ele costuma dizer que nos espera no Além, para, em seguida, retornar à vida física.”; e,
c) assim também vamos observar outra confirmação de Chico sobre o assunto no livro organizado pela Dra. Marlene Nobre, e editado em 1997 pela Folha Espírita, cujo título é Lições de Sabedoria, que traz à página 171 da segunda edição a pergunta de Gugu Liberato a Chico Xavier: “É verdade que o espírito Emmanuel, que lhe ditou a base do Espiritismo prático no
Brasil, se prepara para reencarnar?” Ao que Chico respondeu: “Ele diz que virá novamente, dentro de pouco tempo, para trabalhar como professor.”
E também em conversa com Geraldo Lemos Neto, e falando sobre a volta de Emmanuel, Chico nos confidenciou: “Geraldinho, o nosso compromisso, meu e de Emmanuel, com o Espiritismo na face da Terra tem a duração de três séculos, e só terminará no final do século XXI.”


Em uma das suas conversas com Chico Xavier, Emmanuel disse-lhe: “(...) conheci de perto as angústias dos simples e as aflições dos degredados (...)quis o Senhor, que (...) o serviço do Brasil não me saísse do coração. A tarefa evangelizadora continua. A permuta de nomes não importa.”


Fonte:  Livro: Deus conosco
Livro: Há dois mil anos
Livro: 50 anos depois
Revista Cristã de Espiritismo – ano IX-ed.64

domingo, 15 de fevereiro de 2015

INEVITAVELMENTE


Refugie-se nas abençoadas paisagens do amor, a fim de poder amar-se em profundidade, significando que você deverá trabalhar-se moral, intelectual e espiritualmente, a fim de ser melhor em cada momento, superando as tendências maléficas que ainda predominam em a sua natureza.
Todo o bem que puder fazer, realize-o, estimulando-se e crescendo interiormente.
Recorde-se de que você é a única pessoa que convirá com você mesmo para todo o sempre.
*
Nunca subestime a lição do sofrimento, recebendo-o com boa disposição interior.
Ninguém passa pelo carreio da evolução sem as experiências de alegria e de dor, de felicidade e de desdita. São essas, as denominadas desagradáveis, que ajudam na seleção daquelas outras, que são denominadas prazerosas.
O processo da evolução é realizado através de etapas, nas quais as escamas da ignorância e da sombra são diluídas, a fim de que se instale no cerne do ser a peregrina luz da sabedoria.
*
Tenha paciência com você mesmo, sendo mais gentil e perdoando-se mais. Isso não significa que esteja de acordo com os procedimentos infelizes, mas sim, que os recebe de maneira positiva, como experiências da evolução.
Manter ressentimentos íntimos, especialmente em relação a si mesmo, constitui um morbo que se transforma em enfermidade emocional, depois física, e por fim, destruidora...
Compreenda que você está num estágio de aprendizagem, no qual o erro é fenômeno natural, mas permanecer nele significa falta de consideração por si mesmo.
*
Seja simpático com todos, mesmo nos seus momentos menos saudáveis.
Seus amigos, inimigos ou desconhecidos, não devem ser molestados com a sua indisposição de momento.
Treinando bem-estar, você criará condições para que se modifiquem as circunstâncias internas para melhor, mesmo que os fatos não se hajam alterados. Com essa disposição, você verá melhor a situação em que se encontra e descobrirá soluções mais rápidas e mais felizes para qualquer conjuntura perturbadora.
*
Cultive as conversações edificantes, apesar do anseio de queixar-se, exteriorizando as angústias e decepções que os assinalem nos momentos infelizes.
Os outros também têm problemas não resolvidos e dificilmente entenderão os que se passa com você, necessitados como se encontram de ser entendidos.
A queixa é um miasma envolvente, que sempre piora qualquer situação. Quanto mais é comentada pior se apresenta o quadro, fixando-se na mente e dando lugar a ressentimentos e frustrações. À semelhança de lodo, quanto mais é movimentado, mais exala putrefação.
*
Busque a ajuda da alegria, sem algazarra nem vulgaridade.
Um semblante aberto ao sorriso de esperança e de bondade esparze confiança e amizade em toda parte.
Uma carranca sempre desagrada, produzindo vibrações de antipatia e animosidade, que são desferidas contra aquele que se mantém fechado em si mesmo.
O mundo não é hostil, porque é neutro. São as pessoas como você que o tornam generoso ou agressivo, bondoso ou perverso.
*
Faça sempre a sua parte mantendo a consciência do dever.
Não lhe importem os outros, aquele se comprazem na ignorância e, por isso mesmo, tornam-se problema para eles próprios, assim como para os demais.
Se cada pessoa lúcida conscientizar-se de que a sombra nunca vence a luz, o mundo ficará inundado de claridade, que é a mais bela expressão do Amor que se exterioriza.
*
Inevitavelmente, o seu auto amor torna-se essencial para o amor entre todos, e por consequência, o amor a Deus.
Ame-se, pois, um pouco mais, exteriorizando-se na direção do seu próximo e perceberá que já ama a Deus na expressão de todas as coisas e pessoas que Ele criou.

Marco Prisco
Psicografia de Divaldo P. Franco


Fonte: Do livro Diretrizes para uma vida Feliz, psicografado pelo médium Divaldo P. Franco.

terça-feira, 10 de fevereiro de 2015

Post.193: A COMPREENSÃO ESPÍRITA DO BATISMO

Na Doutrina Espírita não existe Batismo, porque o Espiritismo não adota nenhum ritual.


Encontramos no Evangelho de Mateus(3:11)  a seguinte passagem de João Batista: “Eu os batizo com água para arrependimento. Mas depois de mim vem alguém mais poderoso do que eu, tanto que não sou digno nem de lava as suas sandálias. Ele os batizará com o Espírito Santo e com fogo.”
Desta forma João Batista afirmou que ele batizava pela água os adultos, porque eles já possuíam a capacidade de se arrependerem de seus atos, e podiam diferenciar o certo e o errado para renovarem-se moralmente. E que Jesus iria batizar pelo Espírito Santo e pelo Fogo, sendo assim, algo mais complexo, de entendimento elevado, e que ele João Batista não era capaz de realizar. Então, fica evidenciado um tipo de batismo diferente a ser praticado a partir de Jesus. Nisto, no entendimento espírita, o batismo não é realizado com cerimônia externa, mas sim realizando-se no interior do indivíduo, na consciência de cada um de nós ao tomar conhecimento da palavra do Cristo. Então, o batismo para o espírita é pelo Espírito Santo e pelo fogo. Mas, o que significa, e como é esse Batismo pelo Espírito Santo e pelo Fogo?

Batismo com o Fogo:
É o símbolo do aprimoramento íntimo, do esforço para corrigir nosso espírito para o Evangelho do Cristo, na vivência diária. O arrependimento com sinceridade de erros e transgressões de vidas passadas é a fase preparatória para o Batismo de Fogo, o qual acontece quando o indivíduo renovar-se, reparando os males cometidos em outras vidas. Dando  demonstração de seu propósito de reformar-se interiormente. Batismo de fogo é o esforço de vencermos nossos instintos e hábitos inferiores, procurando a pratica do bem. Este esforço é uma luta dentro de nós e em meio a tudo e a todos.

Batismo com o Espírito Santo:
É o despertar da nossa consciência, para a verdadeira vida: a espiritual.
É praticar o bem com constância e com sinceridade, e assim a moral vai evoluindo, e com esse valor moral é alcançado o reconhecimento do Plano Espiritual Superior. Ou seja, é quando a pessoa consegue sintonia com o mundo Espiritual Maior. Mas, isto só é alcançado, por meio de um difícil e espinhoso Batismo de Fogo, quando o indivíduo luta sem desanimo, vencendo a si mesmo, aprendendo e aprimorando o espírito, para entrar em sintonia com os benfeitores do plano espiritual.


É desta forma a compreensão do batismo para nós espíritas, estando inclusive em harmonia com a Bíblia, pois o objetivo básico dos ensinamentos do Cristo Jesus é conquistarmos nosso aprimoramento, com a reforma interior. Assim, perseverança para alcançar o Batismo de Fogo deixando erros para trás por meio das correções necessárias para nos libertarmos, e assim posteriormente sermos dignos de nos batizarmos com o Espírito Santo, entrando em sintonia com a espiritualidade amiga. 


domingo, 1 de fevereiro de 2015

O UNIVERSO, uma pequena viagem.

Convido você a fazer uma pequena viagem pelo Universo.
O Universo a fronteira final ou inicial para alguns astrofísicos, o que entendemos sobre o universo é que ele é constituído de tudo que existe fisicamente e espiritualmente falando. Como disse Jesus,”Há muitas moradas na casa do meu pai”, ou seja, existem muitos mundos a serem descobertos com vida em vibração diferente da que conhecemos, somente a física quântica e a física plank pode desvendar esse mistério.
O Universo tem um raio de cerca 46 bilhões de anos luz, essa são as observações atuais das leis da física. As leis que regem o Universo como conhecemos é de pura harmonia, pois tudo está em equilíbrio pelas leis cósmicas, ou seja, de acordo com as Leis de Deus.
Vamos dar uma pequena observada de como nosso planeta Terra e a Via Láctea estão em relação em muitos outros  mundos e em outras galáxias?!

Partimos da nossa casa, a Terra.


Aqui está nosso sistema solar, observamos a Terra na sua orbita, assim como os demais planetas. 


Agora, vamos  observar a distância da Terra em relação a Lua, que é apenas de 384,400 km.


Imaginemos agora todos os planetas alinhados nessa distância entre a Terra e a Lua, os planetas ficariam alinhados com a distância de 8,030 km de sobra entre eles.


Agora vamos até Saturno, para ver a diferença de massa entre ele e a Terra, pois em apenas em seus anéis cabem o equivalente a  6 Terras alinhadas, imaginemos como somos pequenos no Universo.


E como seria se a Terra tivesse anéis como Saturno? Nossa visão seria dessa forma, visto da linha do Equador, da Polynesia Francesa, do Alaska, e da capital dos EUA.


Agora façamos uma comparação, da América do Norte para Júpiter. Como um continente da nossa Terra fica minúsculo em relação a Júpiter. 


Aqui uma comparação um tanto perturbadora,  um meteoro de massa equivalente ao meteoro Roseta  que a NASA enviou uma sonda para estudar, o tamanho dele seria este em relação a cidade de Los Angeles, na Califórnia.


Somos apenas um ponto!  A Terra e sua posição em escala com outros planetas do nosso sistema e nossa estrela mãe o Sol, o quanto pequenos nós somos.


Aqui esta a vista da superfície da Lua para o nosso planeta Terra, algo incrível e maravilhoso.

E aqui é como somos visto da superfície de Marte. Apenas um ponto.


E é assim que somos visto de Saturno.


Nessa outra imagem como a Terra é vista do longínquo Urano.


Aqui está como somos visto do Sol, e note na imagem abaixo em escala menor como o sol não aparece por completo em relação a Terra, devido a sua massa. 


Uma imagem sem palavras, o Sol visto da superfície de Marte.


Agora algo para refletir, como todas as estrelas e galáxias são comparadas a grãos de areia,  pois é algo infinito de se ver, indo além da nossa galáxia.


Aqui está a comparação do nosso Sol com outra estrela de grandeza maior como a  Canis Majoris, na constelação de Cachorro, o pontinho minúsculo é o nosso Astro Rei.


Agora vamos mais além de nossa pesquisa e imaginação. Vamos diminuir o nosso Sol ao tamanho de um glóbulo branco de nosso sangue, nisto a nossa galáxia a Via Láctea seria do tamanho dos EUA. 


Nesta imagem está a localização do planeta Terra visto da Via Láctea.


A via láctea vista de cima, todas as estrelas que se ver a noite são as que estão no circulo amarelo.  


Agora vejamos a via láctea (Milky way), comparada a outras galáxias como Andrômeda, A M87 E O IC1011. 


Nesta imagem do telescópio Hublle, podemos observar a existência de várias galáxias no Universo, cada uma com vários sois, e infinidades de sistemas planetários ao redor de cada estrela.


Imagem vista a 10 bilhões de anos luz de nosso planeta. 


Nesta imagem de um telescópio eletrônico, é possível observar várias galáxias e suas estrelas. Do que parecia a ser nada.


Aqui está o buraco negro NGC1277, com distancia equivalente 4 anos luz de nossa orbita terrestre.


Aqui está o nosso sistema solar em escala diminuída, vejamos como estão em posição os planetas e o nosso sol.


Esta imagem mostra-nos o sistema  interestelar,  vejamos o ponto em vermelho que é onde está localizado nosso sistema solar,  e logo abaixo a galáxia de Andrômeda, cientistas provaram que as duas galáxia vão se fundir em alguns bilhões de anos.


Nossa galáxia a Via Láctea, notemos ainda na imagem os quadrantes que estamos bem perto da galáxia de Andrômeda, comparada a foto anterior.


Nossa posição em escala, e local no grupo galáctico, podemos observar a Via Láctea, a galáxia de Andrômeda e a galáxia do Triangulo, entre outras.


Aqui está um aglomerado de galáxias, agora paremos para pensar  que cada galáxia tem uma estrela própria, e cada sistema solar possui uma determinada quantidade de planetas.


Outra imagem com um super aglomerado de galáxias.


Nesta última imagem da observação, nossa Via láctea é apenas um pequeno ponto visto do Universo infinito, em meio a tantas outras galáxias.


Algo surpreendente que nos faz pensar como somos pequenos no infinito Universo com tantos e tantos sistemas solares, ainda paramos e pensamos será mesmo que estamos sozinhos nesse Universo infinito?  A verdade é não, não estamos sozinhos no Universo, pois cada sistema solar, cada planeta tem sua vibração própria onde cada ser existente vibra de outra maneira, aqui na Terra vibramos em terceira dimensão e futuramente vamos vibrar na quarta dimensão onde tudo é mais leve e sutil.
Vamos aprender cada vez mais o valor da vida e assim dar o valor que todas as formas de vida merece nesse nosso amado planeta Terra, para podermos está em sintonia com a natureza e as Leis Divinas, vamos pensar diferente vamos entrar em vibração  com o cosmos e com a Bondade Infinita de Deus. Que valor estamos dando ao nosso planeta? Que importância estamos dando a natureza que é fonte de toda a vida para nós? Será que estamos cuidado bem da nossa morada terrena? A ciência de uma forma ou de outra permiti-nos pensar em que caminho estamos tomando para o bem do nosso planeta Terra. Pensemos... A mudança começa em cada um de nós.


Se você gostou desta postagem, você vai gostar de ler a postagem sobre: 

EVOLUÇÃO ESTELAR. DO INÍCIO A TUDO!