Translate

segunda-feira, 29 de junho de 2015

Post.207: FLUIDOTERAPIA

A fluido terapia é o tratamento feito com fluidos, sendo através dos passes e da água fluidificada. A constância do tratamento da fluidoterapia, aos poucos, propiciará ao assistido as energias de que carece e o alívio que tanto busca.


É no atendimento fraterno das Casas Espíritas que são identificados os casos que necessitam da fluidoterapia. Geralmente o tratamento fluidoterapico tem duração de quatro semanas. Após este período, o paciente volta ao atendimento fraterno para avaliação dos resultados. Se houve o melhoramento o assistido é liberado, ou se não houve melhora ou se foi pouca, todo o procedimento precisa ser continuado, refeito.

É importante que o assistido pela fluidoterapia:
- Acompanhe as reuniões publicas doutrinarias.
- Siga corretamente as recomendações que foram passadas para o tratamento.
- Que trabalhe a postura moral, por meio do esforço íntimo de renovação.
- Evitar vícios durante o tratamento.
- A alimentação no dia do tratamento deve ser leve, evitando o uso de alimentos pesados, como carnes.
- Manter uma boa conduta moral através de prece, meditação e leituras edificantes.

Cada assistido deve levar seu recipiente individual com água, para que possa ser fluidificada a água.

O corpo reflete o que há no espírito, sendo assim, o espírito precisa ser curado primeiro. Em casos de enfermidade o tratamento espiritual há de ser associado à medicina humana, em função que uma cuida do corpo e a outra cuida do espírito.

Se você não leu é importante ler os seguintes links, para entender melhor o assunto:

segunda-feira, 22 de junho de 2015

Post.206: AUTO PASSE

Como sabemos o Passe atua no sistema energético da pessoa, desbloqueando-o e lhe injetando novas e mais saudáveis energias, fluidos. E é possível uma pessoa aplicar em si mesmo o passe.  Léon Dennis, no livro No Invisível, nos esclarece que: “Pode assim a pessoa, pela auto magnetização, tratar-se a si mesma, descarregando com o auxílio de passes ou de fricções os órgãos enfraquecidos e impregnado-os das correntes de força desprendidas das mãos.”  O auto passe funciona eficientemente como instrumento de limpeza e reequilíbrio do nosso sistema energético, utilizado para limpeza psíquica de si mesmo e o carregamento de energias dos plexos, centros de força.

Do ponto de vista espírita, o auto passe seria as orações, as boas meditações e as ligações mentais e psíquicas com o mais alto. Assim, para aplicar-se o auto passe, é necessário concentração, oração, e é fundamental desvincular-se do psiquismo negativo, para revigora-se. Lembrando que um fluido desarmônico, em tese, não se rearmoniza sozinho polo simples posicionamento das mãos do próprio paciente/assistido em certos locais. Assim, o melhor auto passe é a oração fervorosa, a meditação serena e profunda, o recolhimento com distanciamento do negativo.

Pois, como o homem pode através dos seus fluidos influenciar o seu semelhante, estando presente ou à distancia, pode também igualmente agir sobre si mesmo. Como vimos o auto passe requer concentração para poder colocar-se na condição de receptor. A seguir, é necessária a meditação e a prece fervorosa. Segundo André Luiz, no livro “Nos Domínios da Mediunidade”, a oração é prodigioso banho de forças, tal a vigorosa corrente mental que atrai. A prece vigorosa, associada à fé na ajuda espiritual, acelera as nossas vibrações e facilita a ligação com os benfeitores. As energias espirituais somadas às nossas, retornam sobre nós trazendo-nos fluidos renovadores.

O auto passe funciona, sim, mas dentro de parâmetros adequados, as restrições são aos que buscam o recurso como que pretende possuir uma “varinha mágica” ou aquele que crê que simples gestos superficiais irão resolver seu problema de interior. O passista/assistido pode se auxiliar em muitas circunstâncias, mas manter a mente equilibrada, em oração e em busca de elevação de seu estado mental, emocional e espiritual é fundamental.



Como realizar o auto passe
Comece elevando sua frequência vibratória, voltando seu pensamento para Deus.
Em um local quieto e calmo, fique de pé.
Concentre-se, pensando em Deus, pedindo a presença do seu guia espiritual.
Faça uma prece com fé e entusiasmo.
Se você tiver mediunidade desenvolvida logo reconhecerá a presença do seu guia, se não à tiver não tem importância, pois o resultado é o mesmo.
A oração e a presença do seu guia espiritual é a preparação para o começo do auto passe.
Terminada a prece, levante os braços verticalmente, de modo que a cabeça fique entre eles, e com a cabeça levantada e olhando para o alto. Permaneça assim por alguns segundos. Quando sentir os braços formigando (que é normal devido a circulação do sangue), percebendo leve aquecimento ou notar os fluidos descendo por eles, é sinal de que as energias vitais estão percorrendo-o de cima para baixo.
Desça os braços e como se estivesse tirando sujeira que se acumulou em sua áurea passe as mãos cruzando-as pelo alto da cabeça sem tocá-la. É como se estivesse retirando algo invisível pairando acima dela, e jogando fora para os lados.
Vá descendo as mãos, repedindo os mesmos gestos, agora pelo rosto, pescoço, ombros, braços, peito, abdome, sempre descendo até os pés. Faça isso algumas vezes até sentir seu corpo suavemente leve.
Terminada a limpeza, levante novamente os braços para o alto, a fim de receber novos fluidos salutares, e aguarde alguns segundos.
Em seguida, desça as mãos suavemente, passando-as por sobre a cabeça, tendo as palmas voltadas para o corpo, e vá descendo lentamente ao longo do corpo. As mãos apenas descem como se acariciassem, mas sem tocar o corpo. Faça isso algumas vezes. Quando as mãos subirem para recomeçar nova descida, não esqueça de estar com elas fechadas para não desperdiçar fluidos.
Encerrando o auto passe, faça uma prece de agradecimento pela assistência prestada, em uma cooperação fraterna do seu guia espiritual ou irmãos afins.

Estes detalhes todos você mesmo vai podendo observar e sentir em si mesmo, agindo e reagindo de acordo com as circunstâncias. Pode-se inclusive, misturar os diversos tipos e modos de emissão de magnetismo na forma de passes, adaptando-se ao qual melhor achar. A prática, e a experiência indica a melhor maneira de realizar a emissão de fluidos salutares no auto passe. Na prática, podemos sentir com absoluta segurança os seus efeitos. Mas, lembrando que sempre realizando o auto passe de forma segura e com responsabilidade, não fazer de forma aleatória, por “brincadeira”, sem ter necessidade.

O vídeo abaixo é mais um exemplo de como realizar o auto passe, vamos assistir?!


sexta-feira, 12 de junho de 2015

Post.205: PASSE, FLUIDOS E MAGNETISMO


Como sabemos o Passe é a doação, transferência de fluidos, por meio da prece e imposição de mãos.   Os fluidos são o veículo do pensamento dos espíritos, tanto encarnados quanto desencarnados. Todos estamos mergulhados no fluido cósmico universal, substância básica da Criação, que varia da imponderabilidade até a ponderabilidade. Os fluidos espirituais estão impregnados dos pensamentos dos espíritos, portanto varia de qualidade ao infinito. A atmosfera fluídica é formada pela qualidade dos pensamentos nela predominantes.

Existem três tipos de magnetismo: o humano, o espiritual e o misto. O tipo de magnetismo para o Passe utilizado nas casas espíritas é o misto, pois à ação dos encarnados soma-se a ajuda benéfica dos espíritos da equipe espiritual, qualificando, direcionando e potencializando os fluidos.

Alguns falam de passe anímico, em que o animismo é um termo usado para designar a ação oriunda do próprio médium, ou seja, o passe anímico seria aquele em que se utiliza apenas o magnetismo humano (do passista). Mas, Allan Kardec nos ensina que os fluidos oriundos do magnetizado (passista)  sempre recebe a ação espiritual, mesmo que ele não acredite nisso, pois todos nós temos guias espirituais. Além do mais, estando mergulhado no fluido cósmico universal, o passista sofre a ação do mundo espiritual sobre ele.  Assim, nos centros espíritas, onde há a equipe espiritual, em que estão trabalhando em grande escala, não há um passe sem a ajuda deles. Seria um contra senso. Os passes aplicados nos centros espíritas não são, portanto, anímicos. 

A prece é indispensável ao passe, para que tenha bons resultados. Segundo o espírito Batuíra “O passe deve ser aplicado à luz da oração seguindo Jesus.”“O passe na dignidade da prece, foi sempre auxilio divino às necessidades humanas. Basta lembrar que o Evangelho apresenta Jesus aos pés dos sofredores, impondo-lhes as mãos.”




quinta-feira, 4 de junho de 2015

Post.204: O PASSE, NA DOUTRINA ESPÍRITA

Passe é doação de energia psíquicas, vindo das forças espirituais. O Passe no Centro Espírita, vem da sintonia mental com os espíritos superiores, os espíritos colaboram oferecendo seus fluidos, que se casa ao magnetismo do passista, mas não é uma vinculação para incorporação, ou seja, não é um ato mediúnico. O Passe é uma doação de energias que o médium passista coloca ao alcance do indivíduo, de modo que o receptor possa ter seus centros vitais reestimulados e, em consequência disso, recobre o equilíbrio ou ajude na recuperação da  saúde, se for o caso.

O Passe é, usualmente, transmitido pelas mãos, mas também pode ser pelo olhar, pelo sopro ou, à distancia, por intermédio das irradiações mentais. A transmissão e a recepção do Passe tem relação com o poder da vontade de quem doa as energias benéficas e de quem as recebe.



Do ponto de vista “técnico”, o Passe é a ação dirigida de certos fluidos. Sua aplicação processa-se de perispírito à perispírito. Os fluidos são assimilados pelos centros de forças situados no perispírito e transmitidos aos plexos e não diretamente ao organismo físico.  E por estar o perispírto ligado ao corpo físico célula a célula, exerce sobre ele preponderante influência. Daí se compreende, por exemplo, o bem estar físico que decorre da ação do Passe. A energia salutar transmitida ao perispírito repercute no corpo, nos órgãos enfermos, por um processo de ressonância. É por isso que o passista não necessita tocar o corpo do assistido.

A aplicação do Passe tem como finalidade auxiliar a recuperação de desarmonias físicas e psíquicas, substituindo os fluidos deletérios por fluidos benéficos; equilibrar o funcionamento de células e tecidos lesados; promover a harmonização do funcionamento de estruturas neurológicas que garantem o estado de lucidez mental e intelectual do indivíduo. O Passe cuida dos efeitos. As causas de nossos males somente nós podemos remover, ou seja, com a reforma íntima, à luz dos princípios de Jesus, pois a cura verdadeira das doenças está relacionada ao processo de reajuste do espírito. Essa auto reeducação, pode extrapolar o limite de tempo de uma reencarnação. Assim, sendo o Passe apenas um instrumento de auxílio. Para prevenir-se contra enfermidades ou perturbações, não previstas na Lei de Causa e Efeito, é necessário que a pessoa defina e siga uma programação de melhoria moral, de esclarecimento espiritual.  É por essa razão que a aplicação do Passe nos Centros Espíritas deve vim sempre depois das palestras doutrinárias, oferecendo às pessoas que procuram o benefício do Passe os esclarecimentos necessários, e despertando os assistidos para os valores nobres da vida, meditando sobre suas ações, corrigindo rumos. Se a pessoa não está disposta à renovação, com o tempo o Passe deixará de surtir efeito. No livro Mediunidade, tudo o que Você Precisa Saber, André Luiz diz que: os mentores espirituais são tolerantes. Ajudam por dez vezes, quando nos submetemos ao tratamento magnético, aliviando nossos padecimentos. Depois disso, se continuarmos acomodados, suspendem o amparo e deixam a dor usar de seus rigores para nos convencer de que é preciso mudar.

Como deve ser o passe
O Passe na Casa Espírita deve ser silencioso, simples e natural, sem excesso de gesticulação e  de outros maneirismos, como o estalido de dedos, respiração ofegante, sopros,assovios, gemidos, massagens, aplicação de unguentos, etc. Durante o Passe não há necessidade de toques físicos no assistido, isto porque os fluidos transmitidos atuam diretamente sobre o perispírito, e não no corpo físico.
Perguntado sobre qual seria a melhor técnica para transmissão do Passe em, O Consolador, nº99, Emmanuel respondeu: “O Passe deverá obedecer à formula que forneça maior porcentagem de confiança, não só a quem o dá, como a quem o recebe. Devemos esclarecer, todavia, que o Passe é a transmissão de uma força psíquica e espiritual, dispensando qualquer contato físico na sua aplicação.
E André Luiz, adverte: “Lembrar-se de que a aplicação de passes não se faz precisa a gesticulação violenta, a respiração ofegante ou o bocejo contínuo (...). A transmissão do passe dispensa qualquer recurso espetacular.” (No livro Conduta Espírita, cap.)


Quem pode aplicar o passe
Existe um preparo para ser passista, todo serviço exige cuidado. Os Centros Espíritas devem instituir cursos de passes, dando aos candidatos orientação, conhecimento especializado, desenvolvendo o conhecimento sobre o magnetismo,mecanismo, seus efeitos,  técnicas, posturas, cuidados... Ausência de estudo é estagnação, e a aprendizagem favorece o trabalho da entidade espiritual que assiste o passista na tarefa. Para lograr bom resultado, todo trabalho espiritual necessita de preparo, esse preparo deve ser constante. É preciso muito esforço, muita vontade, muita disciplina, e perseverança na tarefa  para ir adquirindo certas condições mínimas, e continuar a desempenhar o trabalho.  

O passista deve está em bom estado de saúde física e mental, dotadas de boa vontade e disposição para ajudar o semelhante, desde que esteja devidamente preparada para tal. Em face da gravidade da tarefa, algumas recomendações se fazem necessárias. Nesse sentido o passista deve:
                - Cuidar de sua saúde física: porque há uma contribuição magnética no Passe; e do estado de saúde do passista dependerão a quantidade e a qualidade dos fluidos por ele doados. Devem abster-se de dar Passe pessoas com doenças graves, infecciosas, fisicamente debilitadas, ou em estado de desequilíbrio espiritual.
- Abolir vícios: como por exemplo, a ingestão excessiva de alimentos, consumo de fumo, tóxicos, drogas, álcool, etc., já que tais práticas, além de atraírem espíritos inferiores, impregnam negativamente os fluidos, lesionando o organismo, obscurecendo o raciocínio.
- Primar por uma conduta cristã:  o passista deve conduzir a sua vida segundo os ensinamentos do Cristo Jesus, colocando o amor no dia a dia, como base da vida. Para que seu trabalho seja cada vez mais eficiente, e que a necessidade da sua ajuda para a atividade pode surgir a qualquer momento.
- Disciplina: as atividades espirituais precisam de preparo íntimo, meditação, está sereno tanto no físico como no mental, e comprimento dos horários estabelecidos é fundamental. 
- Buscar equilíbrio emocional: não dando espaço para mágoas, ressentimentos, nervosismo e ódios, raivas...
- Alimentação: deve ser equilibrada, adequada ao organismo, sem os excessos da gula e do jejum. Hábitos alimentares sadios, com a ingestão de frutas, legumes, verduras. O trabalhador dos serviços de passe e, aliás, da mediunidade em geral, não deve apresentar-se de estômago cheio, nas horas que antecedem as atividades deve evitar a ingestão de alimentos de difícil digestão, como carnes e gorduras, de condimentos forte e de excitantes, como café, chás (exceto de ervas), etc.
- Cuidar da higiene pessoal: para evitar constrangimento aos assistidos, e como sabemos banho é fundamental e promove bem estar.
- Conduta sexual. A atividade sexual em si é instintiva, mas o seu uso é moral. O sexo só deve ser exercido com equilíbrio, nobreza, acompanhado do verdadeiro amor.
- Paciência, é indispensável a quem se dispõe a acolher os necessitados e aflitos. Equilíbrio emocional. Fé e oração.

Se o passista não estiver bem, o assistido vai depender do concurso dos mentores espirituais. Para que um passista prejudique um paciente seria necessário a intenção do passista, exprimindo pensamentos negativos diretamente para o assistido.


O ambiente onde será aplicado o passe
O local apropriado para a aplicação dos passes é a instituição espírita por contar com pessoas devidamente habilitadas para o serviço e com local adequado e preparado pelos espíritos benfeitores. Os Centros Espíritas devem ter uma sala destinada ao serviço, a chamada câmara ou sala de passes, que os mentores espirituais preparam adequadamente, com a limpeza psíquica do ambiente e a utilização de aparelhos, conforme tem sido descrito pelos videntes.
Não constitui regra geral a diminuição da luminosidade do ambiente onde se processa o serviço dos Passes, esta questão está sob à orientação da equipe espiritual da Casa. A diminuição da luminosidade deve ser feita a não ser para facilitar a concentração do assistido evitando a dispersão de sua atenção.
A aplicação de Passes só deve ser realizada fora da Casa Espírita em casos de extrema necessidade onde a pessoa necessitada não pode dirigir-se ao Centro em virtude de suas limitações físicas ou enfermidade. O passe fora do Centro Espírita tem o inconveniente de um  ambiente possívelmente desfavorável, impregnado de miasmas fluídicos de ira, maledicência, alcoólicos, fumantes, de sentimentos e pensamentos negativos, etc. Para esse atendimento é aconselhável designar uma pequena equipe de passistas que se dirigirá ao local onde se encontra o assistido. No ambiente de aplicação do passe só devem estar presentes os passistas e familiares do assistido que estejam em condições de colaborar.  Tal cuidado se justifica para o exercício do intercambio espiritual seguro. Mesmo assim, é caridade atender e vencer com equilíbrio os obstáculos, quando tem um pedido sincero e um mínimo de boa vontade por parte do enfermo e seus familiares. O bom senso e a caridade são sempre os elementos que devem preponderar na tomada de qualquer decisão a esse respeito. 


Preparação do assistido para o Passe
Para ter uma melhor receptividade dos fluidos o assistido deve:
-  Aprimorar a sua conduta ético-moral, voltando-a para a vivência do bem.
-  Manter-se em estado de oração, respeito e fé é muito relevante, durante o decorrer da aplicação do Passe, para assimilar os fluidos que estão sendo doados;
- Mentalizar sua recuperação porque a mente tem grande participação na captação e fixação das energias.
- Acomodar-se de forma confortável. O assistido deve ficar na posição que lhe dê mais conforto físico. O Passe transmite-se ao perispírito, independente da posição do corpo físico. Dependendo do lugar, pode ficar deitado, sentado ou de pé. Mas, em qualquer caso, deverá ficar relaxado, respirando normalmente. Não há necessidade de ficar com as mãos espalmadas para cima, como se fosse “receber” algo material.

Sensações de calor, frio, tremor, suor, arrepio, choro podem ocorrer durante o passe. São, geralmente, motivadas por causas psicológicas. O misticismo, de que muitos ainda se não desvencilharam, pode provocar efeitos ilusórios variados.

Nem o passista nem o paciente precisam retirar pulseiras, colares, relógios, óculos, sapatos, etc. Tais objetos não interferem no passa, porque são de natureza diversa daquela dos fluidos.