Translate

terça-feira, 8 de janeiro de 2019

CAMPANHA JANEIRO BRANCO


                      Poucos sabem da existência da campanha Janeiro Branco, que é uma campanha totalmente dedicada à conscientização e prevenção da Saúde Mental, sendo uma campanha concebida por psicólogos e realizada por psicólogos e estudantes em parceria com todos os demais profissionais de saúde. Tendo sido criada por um grupo de psicólogos de Minas Gerais – Brasil, desde 2014.

                   Em uma época em que as taxas de suicídio, depressão e ansiedade tem crescido de forma exponencial em todo o mundo - segundo dados dos Ministérios da Saúde de todos os países e da Organização Mundial de Saúde (OMS), a Campanha Janeiro Branco justifica-se como uma importante ação prestativa em relação a essas graves questões e, fundamentalmente, como uma necessária campanha voltada á promoção de mais saúde mental nas vidas das pessoas e à democratização, em meio à humanidade, dos conhecimentos relacionados a esse objetivo.



                Assim como há toda a mobilização com o Outubro Rosa e o Novembro Azul, o Janeiro Branco necessita também de mobilização e destaque em prol da saúde mental, pois sabemos que a mente controla todo o corpo, todo o organismo, e por meio da mente podemos viver no céu ou no inferno, termos saúde ou desenvolver enfermidades. Daí a importância do Janeiro Branco de chamar a atenção das pessoas para os temas da Saúde Mental e da Saúde Emocional nas vidas dos indivíduos, para levar a necessidade da Saúde Mental e do combate ao adoecimento das pessoas.

                O Janeiro Branco coloca os termos da saúde mental e da saúde emocional em evidencia na sociedade, estimulando as pessoas refletirem sobre a importância de uma mente e de um emocional saudáveis, e conscientizar em buscar ajuda ou ajudar aqueles que necessitam, contribuindo assim para o combate ao adoecimento emocional das pessoas. Porque, quando detemos o conhecimento temos a possibilidade de mudar a nossa realidade e a realidade dos outros que precisam.
          
                O Janeiro Branco ajuda a mostrar ao mundo inteiro que cuidar da mente é cuidar da vida e que, aonde há saúde mental, há paz, autoconhecimento e muita harmonia nos relacionamentos entre as pessoas.

                O mês de janeiro foi escolhido para a campanha, porque o primeiro motivo é que em janeiro, as pessoas tem a sensação de um novo começo, novos planos e novo estilo de vida. Os criadores da campanha quiseram aproveitar esse clima para que as pessoas comecem o ano pensando também em sua saúde mental. Além disso, muitas pessoas passam pela melancolia de fim de ano, e janeiro é um momento em que muitas pessoas estão fragilizadas por isso, sendo esse o momento ideal para buscar ajuda profissional e começar a cuidar da mente.


                 Já a cor branca representa o quadro em branco, o papel em branco, no qual escreveremos ou desenharemos uma nova historia da saúde mental, sem os tabus e preconceitos que a cercam.

                Infelizmente, a saúde mental é cercada de muito tabu.  A maioria das pessoas acha que ir ao psicólogo é “coisa de louco”. Isso é herança de uma cultura antiga e ultrapassada, de higienização, onde se tirava tudo aquilo que incomodava na sociedade e isolava em manicômios. Hoje a realidade é diferente, o tratamento da chamada “loucura” avançou muitíssimo e é humanizado. Há ações no sentido de inserção na sociedade e não mais o contrário, que era retirar da sociedade.

                 Os cuidados preventivos do corpo é propagado de forma aberta. Mas, porque a mente só recebe cuidados quando a coisa já está “no fundo do poço?” Parece mais do que justo que cuidemos da mente que controla todo o nosso corpo, pois se a cabeça vai mal, tudo vai mal.





terça-feira, 1 de janeiro de 2019

BEM VINDO 2019!



Que este novo ciclo de tempo que inicia-se no Planeta Terra, seja abençoado pelo Nosso Criador...

Que o ciclo de 2019 seja de bênçãos para a humanidade encarnada e desencarnada!

Que possamos ter saúde para trabalhar e desenvolver nossas atividades;

que possamos sorrir muito;

que possamos desenvolver mais o amor e a caridade;

que possamos descobrir e vivenciar cada vez mais os ensinamentos de Jesus;

que possamos respeitar e dar mais valor a natureza;

que possamos ir em busca de mais aprendizados e para compartilha-los com todos que quiserem;

que possamos ter mais compreensão e tolerância para com o próximo;

que as dificuldades que possam aparecer, que sirvam para o nosso desenvolvimento espiritual;

que as pessoas que praticam a violência permitam-se serem tocadas pelo amor de Jesus e deem mais respeito a vida;

que as famílias em desunião encontre a paz e o equilíbrio;

que os doentes e seus cuidadores tenham força e perseverança  provação a passar;

que possamos trabalhar cada vez mais para o bem, sermos fonte de amor, de luz, de caridade;

que possamos ter perseverança em nossos compromissos e trabalhos assumidos;

que possamos construir a paz interior para sermos pontos de luz no planeta Terra...

Que possamos seguir nossas inspirações, realizar nossos objetivos, ser fiel a nossa consciência; que possamos fazer brilhar nosso caminho em 2019, plantar cada vez mais o amor e o bem...

Que possamos praticar de acordo com nosso desenvolvimento e nível espiritual os ensinamentos de Mestre Jesus, cada vez mais!

        Desejo um saudável e feliz 2019! Agradeço por estarmos juntos, e que a humanidade possa ter um ano de paz e tranquilidade!

        Que 2019 seja iniciado e que permaneça sob a Luz do nosso Divino Mestre Jesus, com as bênçãos de Deus e a presença dos bons espíritos.

       BEM VINDO 2019 !!!!!!

Amor à todos!
Luz e boas vibrações!

Escrito pelo Jardim Espírita.

sexta-feira, 28 de dezembro de 2018

RENOVAÇÃO DE ANO, É CELEBRAR A VIDA!




Celebrar mais uma renovação de ano, é celebrar a vida! De celebrar os bons e maus momentos, celebrar as pessoas que amamos está ao nosso lado, celebrar a saúde, celebrar o alimento em nossa mesa, celebrar o nosso trabalho que nos sustenta... Celebrar o dom da vida e a oportunidade de estarmos na experiência na matéria mais uma vez. E de ter a consciência que sempre podemos recomeçar e nos renovar independente de data, não esperemos o calendário mudar o ano para trabalhar a nossa renovação, pois a todo o momento é hora de trabalhar a educação do nosso espírito imortal. Nem nos apeguemos a cores determinadas, nem a rituais, pois somos nós mesmos os autores de nossa própria história e somos nós que determinamos a nossa paz, o nosso equilíbrio, e não cores de vestimentas ou rituais. A grande questão é o que carregamos dentro de nós, e como seres viventes em um mundo ainda imperfeito carregamos as falhas e os acertos em nós, mas  vamos convidar a nós mesmos para realçar e compartilhar mais o que temos de melhor, com muitos sorrisos, gentilezas, alegrias, esperanças, abraços fraternos...

Assim, como tudo no Universo estamos em constante transformação, e se transformar é se renovar. Se renovar nos ensinos de Jesus, pois é assim que vamos alcançar realmente uma transformação real na nossa senda evolutiva. Jesus com os seus ensinos e seus exemplos de vivencia, nos faz buscar novos horizontes de luz, de amor, de caridade... E quando nos permitimos irmos transformando os nossos pensamentos e sentimentos, os ensinos que Jesus nos trouxe vai sendo gravado em nosso coração e mente de forma natural, e irmos em busca do belo – no sentido do bem, do amor, da pratica da caridade e da fraternidade, isto porque aqueles velhos pensamentos e velhas formas de vivencia não nos cabe mais, é a certeza que Jesus renova todas as coisas.

Agradecemos a você Amigo(a) Leitor(a) pela companhia neste ano que passou, e te esperamos para compartilhar mais um ano que se inicia. Com a certeza de que somos nós mesmos autores de nossas vidas e cabe a nós o caminho a escolher para percorrer.

Com as bênçãos e proteção de Deus, com a luz de Jesus a iluminar nossos caminhos e o amparo dos bons espíritos, são os nossos votos para um ano novo com muita saúde e paz!

Deus conosco.
Paz, Luz e Harmonia.
Blog Jardim Espírita.

domingo, 23 de dezembro de 2018

NATAL DO CORAÇÃO

Abençoadas sejam as mãos que, em memória de Jesus, espalham no Natal a prata e o ouro, diminuindo a miséria e a necessidade, a fome e a nudez!...

Entretanto, se não forem iluminadas pelo amor que ajuda sempre, esses flagelos voltarão amanhã, como a erva daninha que espreita a ausência do
lavrador.

Não retenhas, assim, a riqueza do coração que poder dar, tanto quanto o maior potentado da Terra!

Deixa que a manjedoura de tua alma se abra, feliz, ao Soberano Celeste, para que a luz te banhe a vida.

Com Ele, estenderás o coração onde estiveres, seja para trocar um pensamento compassivo com a palavra escura e áspera ou para adubar uma semente de esperança, onde a aflição mantém o deserto! Com Ele, inflamarão de júbilo os olhos de algum menino triste e desamparado e uma simples criança, arrebatada hoje ao vendaval, pode amanhã ser o consolo da multidão... Com Ele, podes oferecer a bênção da tolerância aos que trabalham contigo, transformando o altar de teu coração em altar de Deus!...

Que tesouro terrestre pagará o gesto de compreensão no caminho empedrado, o sorriso luminoso da bondade no espinheiro da sombra e a oração do carinho e do entendimento no instante da morte?

Natal no espírito é a comunhão com Ele próprio.

Ainda que te encontres em plena solidão na manjedoura do infortúnio, sai de ti mesmo e reparte com alguém o dom inefável de tua fé.

Lembra-te de que Ele, em brilhando na manjedoura, tinha consigo apenas o amor a desfazer-se em humildade, e, em agonizando na cruz, possuía apenas o coração, a desfazer-se em renúncia...

Mas, usando tão somente o coração e o amor, sem uma pedra onde repousar a cabeça, converteu-se no Salvador do Mundo, e, embora coroado de espinhos, fez-se o Rei das Nações para sempre.
     

Pelo Espírito MEIMEI.
Psicografia de Chico Xavier. 


FONTE: Livro Antologia Mediúnica Do Natal. Espíritos Diversos. Psicografia: Francisco Cândido Xavier.


terça-feira, 18 de dezembro de 2018

JESUS PARA O HOMEM


"E achado em forma como homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até à morte de cruz". - PAULO (Fillipenses, 2:8). 


O Mestre desceu para servir. 
Do esplendor à escuridão... 
Da alvorada eterna à noite plena... 
Das estrelas à manjedoura... 
Do infinito à limitação... 
Da glória à carpintaria... 
Da grandeza à abnegação... 
Da divindade dos anjos à miséria dos homens... 
Da companhia de gênios sublimes à convivência dos pecadores... 
De governador do mundo a servo de todos... 
De credor magnânimo a escravo... 
De benfeitor a perseguido... 
De salvador a desamparado... 
De emissário do amor à vítima do ódio... 
De redentor dos séculos a prisioneiro das sombras... 
De celeste pastor à ovelha oprimida... 
De poderoso trono à cruz do martírio... 
Do verbo santificante ao angustiado silêncio... 
De advogado das criaturas a réu sem defesa... 
Dos braços dos amigos ao contacto de ladrões... 
De doador da vida eterna a sentenciado no vale da morte... 
Humilhou-se e apagou-se para que o homem se eleve e brilhe para sempre! 
Oh! Senhor, que não fizeste por nós, a fim de aprendermos o caminho da Gloriosa Ressurreição no Reino? 

Pelo Espírito Emmanuel.

Psicografia de Chico Xavier. 

Fonte: Livro Antologia Mediúnica do Natal. Psicografia de Chico Xavier. Espíritos Diversos. Editora FEB. Capítulo 1.


domingo, 16 de dezembro de 2018

OS ACONTECIMENTO SOBRE JOÃO DE DEUS


Devemos lembrar que mediunidade não está ligada essencialmente ao Espiritismo. Allan Kardec na Codificação Espírita nos fala que, mediunidade pertence a todos, todos carregam o dom da mediunidade, independente de religião, de idade, de gênero... Agora que em diferentes graus. As pessoas e os meios de comunicação desinformados confundem mediunidade com Espiritismo, e confundem Espiritismo com Espiritualismo. Não podemos confundir mediunidade com Espiritismo, temos que saber diferenciar mediunidade do Espiritismo.

No Espiritismo não se cobra dinheiro para fazer tratamentos, ou fluidificar água, nunca é cobrado nenhuma taxa monetária para nenhuma das atividades, ou tratamentos dentro de uma casa espírita, pois um dos lemas da Doutrina Espírita é: daí de graça o que recebeste de graça. Isto porque o dom da mediunidade foi nos dado por Deus de graça, jamais poderemos cobrar pelos trabalhos mediúnicos, ou dentro de um centro espírita. Assim, como as casas espírita não se faz uso de imagens de santos, ou uso de cores determinadas para as pessoas e trabalhadores vestirem, ou ser usada na casa espírita, ou uso de pedras. Nas casas espíritas não há nenhum ritual, e as casas espíritas não são chamadas de santuários, e não é necessário contato físico como por exemplo na hora do passe.  

Em relação a João de Deus, no “santuário” de cura como chamam, pelo o que vemos nos vídeos percebemos varias imagens de santos, como venda de remédios e de água fluidificada, assim como tem um vídeo em que ele fala que ele não se denomina como um espírita, mas ele é de todas a religiões. Como sabemos a mediunidade não está ligada com o Espiritismo. E será que ainda ele carrega o dom mediúnico depois de tantos e tamanhos desvios morais? Devemos acolher essas vítimas de João de Deus, em que nos momentos de mais fragilidade e que mais precisavam de apoio foram abusadas, não apenas as abusadas por ele, mas todas as vítimas de abuso sexual em todas as partes, seja nos meios religiosos – que o abuso acontece em muitos segmentos religiosos, seja na rua, seja em casa, seja no trabalho... em todos os lugares, precisam ser ouvidas, apoiadas, acolhidas.

No livro, Seara dos Médiuns, capitulo 12, psicografia de Chico Xavier, o espírito Emmanuel nos fala que: “A Doutrina Espírita atua com o trabalho da caridade material e espiritual desinteressada, sem nenhum propósito a não ser ao de auxiliar os necessitados.”   Ou seja, toda a pratica do Espiritismo é gratuita, não se pode jamais cobrar dinheiro. E a cura se dar pelo merecimento do indivíduo, e não pelo poder de ninguém ou de nenhum médium, se existe uma cura é pelo poder da fé que tem, pelo merecimento. E o Espiritismo orienta que o serviço espiritual não deve ocorrer isoladamente, apenas com o médium e a pessoa assistida na mesma sala, não recomenda o trabalho de médium que atende individualmente e por conta própria esses não estão vinculados ao movimento da Doutrina Espírita, nem seguindo a sua orientação. Assim, a Federação Espírita Brasileira –FEB, fundamentada na tríade: Deus, Cristo e Caridade, pratica o bem, levando consolo e esclarecimento a humanidade. Lembremos a frase de Emmanuel no livro Seara dos Médiuns, capitulo 12, psicografia de Chico Xavier : “Não é a mediunidade que te distingue. É aquilo que faz dela.”

“Reconhece-se o verdadeiro espírita por sua transformação moral e pelos esforços que faz para dominar as más inclinações.” – Allan Kardec.

Abaixo segue o texto do livro: Emmanuel, psicografia de Chico Xavier, pelo espírito Emmanuel; com o titulo Mensagem aos Médiuns, contido no capitulo 11:

Mensagem aos Médiuns


Venho exortar a quantos se entregaram na Terra à missão da mediunidade, afirmando-lhes que, ainda em vossa época, esse posto é o da renúncia, da abnegação e dos sacrifícios espontâneos. Faz-se mister que todos os Espíritos, vindos ao planeta com a incumbência de operar nos labores mediúnicos, compreendam a extensão dos seus sagrados deveres para a obtenção do êxito no seu elevado e nobilitante trabalho.
Médiuns! A vossa tarefa deve ser encarada como um santo sacerdócio; a vossa responsabilidade é grande, pela fração de certeza que vos foi outorgada, e muito se pedirá aos que muito receberam. Faz-se, portanto, necessário que busqueis cumprir, com severidade e nobreza, as vossas obrigações, mantendo a vossa consciência serena, se não quiserdes tombar na luta, o que seria crestar com as vossas próprias mãos as flores da esperança numa felicidade superior, que ainda não conseguimos alcançar! Pesai as consequências dos vossos mínimos atos, porquanto é preciso renuncieis à própria personalidade, aos desejos e aspirações de ordem material, para que a vossa felicidade se concretize.

11.1 Vigiar para Vencer
Felizes daqueles que, saturados de boa-vontade e de fé, laboram devotadamente para que se espalhe no mundo a Boa-Nova da imortalidade. Compreendendo a necessidade da renúncia e da dedicação, não repararam nas pedras e nos acúleos do caminho, encontrando nos recantos do seu mundo interior os tesouros do auxílio divino. Acendem nos corações a luz da crença e das esperanças, e se, na maioria das vezes, seguem pela estrada incompreendidos e desprezados, o Senhor enche com a luz do seu amor os vácuos abertos pelo mundo em suas almas, vácuos feitos de solidão e desamparo.
Infelizmente, a Terra ainda é o orbe da sombra e da lágrima, e toda tentativa que se faz pela difusão da verdade, todo trabalho para que a luz se esparja fartamente encontram a resistência e a reação das trevas que vos cercam. Daí nascem as tentações que vos assediam, e partem as ciladas em que muitos sucumbem, à falta da oração e da vigilância apregoadas no Evangelho.

11.2 Quem são os Médiuns na sua Generalidade
Os médiuns, em sua generalidade, não são missionários na acepção comum do termo; são almas que fracassaram desastradamente, que contrariaram, sobremaneira, o curso das leis divinas, e que resgatam, sob o peso de severos compromissos e ilimitadas responsabilidades, o passado obscuro e delituoso. O seu pretérito, muitas vezes, se encontra enodoado de graves deslizes e de erros clamorosos. Quase sempre, são Espíritos que tombaram dos cumes sociais, pelos abusos do poder, da autoridade, da fortuna e da inteligência, e que regressam ao orbe terráqueo para se sacrificarem em favor do grande número de almas que desviaram das sendas luminosas da fé, da caridade e da virtude. São almas arrependidas que procuram arrebanhar todas as felicidades que perderam, reorganizando, com sacrifícios, tudo quanto esfacelaram nos seus instantes de criminosas arbitrariedades e de condenável insânia.

11.3 As Oportunidades do Sofrimento
As existências dos médiuns, em geral, têm constituído romances dolorosos, vidas de amargurosas dificuldades, em razão da necessidade do sofrimento reparador; suas estradas, no mundo, estão repletas de provações, de continências e desventuras. Faz-se, porém, necessário que reconheçam o ascetismo e o padecer, como belas oportunidades que a magnanimidade da Providência lhes oferece, para que restabeleçam a saúde dos seus organismos espirituais, combalidos nos excessos de vidas mal orientadas, nas quais se embriagaram à saciedade com os vinhos sinistros do vício e do despotismo.
Humilhados e incompreendidos, faz-se mister que reconheçam todos os benefícios emanantes das dores que purificam e regeneram, trabalhando para que representem, de fato, o exemplo da abnegação e do desinteresse, reconquistando a felicidade perdida.

11.4 Necessidade da Exemplificação
Todos os médiuns, para realizarem dignamente a tarefa a que foram chamados a desempenhar no planeta, necessitam identificar-se com o ideal de Jesus, buscando para alicerce de suas vidas o ensinamento evangélico, em sua divina pureza; a eficácia de sua ação depende do seu desprendimento e da sua caridade, necessitando compreender, em toda a amplitude, a verdade contida na afirmação do Mestre: “Dai de graça o que de graça receberdes.”
Devendo evitar, na sociedade, os ambientes nocivos e viciosos, podem perfeitamente cumprir seus deveres em qualquer posição social a que forem conduzidos, sendo uma de suas precípuas obrigações melhorar o seu meio ambiente com o exemplo mais puro de verdadeira assimilação da doutrina de que são pregoeiros.
Não deverão encarar a mediunidade como um dom ou como um privilégio, sim como bendita possibilidade de reparar seus erros de antanho, submetendo-se, dessa forma, com humildade, aos alvitres e conselhos da Verdade, cujo ensinamento está, frequentemente, numa inteligência iluminada que se nos dirige, mas que se encontra igualmente numa provação que, humilhando, esclarece ao mesmo tempo o espírito, enchendo-lhe o íntimo com as claridades da experiência.

11.5 O Problema das Mistificações
O problema das mistificações não deve impressionar os que se entregam às tarefas mediúnicas, os quais devem trazer o Evangelho de Jesus no coração. Estais muito longe ainda de solucionar as incógnitas da ciência espírita, e se aos médiuns, às vezes, torna-se preciso semelhante prova, muitas vezes os acontecimentos dessa natureza são também provocados por muitos daqueles que se socorrem das suas possibilidades. Tende o coração sempre puro. É com a fé, com a pureza de intenções, com o sentimento evangélico, que se podem vencer as arremetidas dos que se comprazem nas trevas persistentes. É preciso esquecer os investigadores cheios do espírito de mercantilismo!…
Permanecei na fé, na esperança e na caridade em Jesus Cristo, jamais olvidando que só pela exemplificação podereis vencer.

11.6 Apelo aos Médiuns 
Médiuns, ponderai as vossas obrigações sagradas! preferi viver na maior das provações a cairdes na estrada larga das tentações que vos atacam, insistentemente, em vossos pontos vulneráveis. Recordai-vos de que é preciso vencer, se não quiserdes soterrar a vossa alma na escuridão dos séculos de dor expiatória. Aquele que se apresenta no Espaço como vencedor de si mesmo é maior que qualquer dos generais terrenos, exímio na estratégia e tino militares. O homem que se vence faz o seu corpo espiritual apto a ingressar em outras esferas e, enquanto não colaborardes pela obtenção desse organismo etéreo, através da virtude e do dever cumprido, não saireis do círculo doloroso das reencarnações.

Do livro: Emmanuel
Pelo Espírito: Emmanuel
Psicografia: Francisco Cândido Xavier
FEB Editora                     




segunda-feira, 10 de dezembro de 2018

NOTA DA FEDERAÇÃO ESPÍRITA BRASILEIRA SOBRE A ATUAÇÃO DE MÉDIUNS CURADORES

          Segue abaixo a nota de esclarecimento que a Federação Espírita Brasileira - FEB, divulgou sobre a atuação de médiuns curadores. 

FEB esclarece sobre atuação de médiuns curadores

A Doutrina Espírita atua com o trabalho de caridade material e espiritual desinteressada, sem nenhum propósito a não ser o de auxiliar os necessitados.
“Toda a prática espírita é gratuita, como orienta o princípio moral do Evangelho: Dai de graça o que de graça recebestes” (O evangelho segundo o Espiritismo, cap. 26).
O Espiritismo orienta que o serviço espiritual não deve ocorrer isoladamente, apenas com a presença do médium e da pessoa assistida. Não recomenda, portanto, a atividade de médiuns que atuem em trabalho individual, por conta própria. Estes não estão vinculados ao Movimento Espírita, nem seguindo sua orientação.
A Federação Espírita Brasileira, junto ao Movimento Espírita, fundamentada na tríade Deus, Cristo e Caridade, pratica o bem, levando consolo e esclarecimento à humanidade.
“Não é a mediunidade que te distingue. É aquilo que fazes dela”. (Emmanuel, em Seara dos Médiuns, cap. 12, psicografado por Chico Xavier).

quinta-feira, 6 de dezembro de 2018

OS COMPLETISTAS

“Completista”, é o título que designa os raros irmãos que aproveitaram todas as possibilidades construtivas que o corpo terrestre lhes oferecia. Em geral, quase todos nós, regressando à esfera carnal, perdemos oportunidades muito importantes no desperdício das forças fisiológicas. Perambulamos pela matéria, fazendo alguma coisa de útil para nós e para outrem, mas, por vezes, desprezamos cinquenta, sessenta, setenta por cento e, frequentemente, até mais, de nossas possibilidades. Em muitas ocasiões, prevalece ainda, contra nós, a agravante de termos movimentado as energias sagradas da vida em atividades inferiores que degradam a inteligência e embrutecem o coração. Aqueles, porém, que mobilizam a máquina física, à maneira do operário fidelíssimo, conquistam direitos muito expressivos nos planos espirituais. O “completista”, na qualidade de trabalhador leal e produtivo, pode escolher, à vontade, o corpo futuro, quando lhe apraz o regresso à crosta em missões de amor e iluminação, ou recebe veiculo enobrecido para o prosseguimento de suas tarefas, a caminho de círculos mais elevados de trabalho.


(...) Nada mais legítimo que dotar o servidor fiel de recursos completos. Os desregramentos de toda a sorte a que se entregam as criaturas humanas, em todos os países, doutrinas e situações, complicando os caminhos evolutivos, criando laços escravizantes, enraizando-se no apego aos quadros transitórios da existência material, alimentando enganos e fantasias, destruindo o corpo e envenenando a alma.

Recordando o cativeiro dos espíritos encarnados no plano da sensação, consola-nos saber que há um prêmio aos raríssimos homens que vivem na sublime arte do equilíbrio espiritual, mesmo na carne. Por mais estranho que possa parecer, semelhantes exceções existem no mundo. Passam, frequentemente, para o plano espiritual, entre os anônimos da crosta, sem fichas de propaganda terrestres, mas com imenso lastro da espiritualidade superior.

O que se sabe dos “completistas” que regressam à crosta, embora os méritos de que se encontravam revestidos, escolheram formas irrepreensíveis, quanto às linhas exteriores. Solicitaram providências em favor da existência sadia, preocupando-se com a resistência, equilíbrio, durabilidade e fortaleza do instrumento que os deveria servir, mas pediram medidas tendentes a lhes atenuarem o magnetismo pessoal, em caráter provisório, evitando-se-lhes apresentação física muito primorosa, ocultando, assim, a beleza de suas almas para a eficiente garantia de suas tarefas. Assim procedem, porquanto, vivendo a maioria das criaturas no jogo das aparências, quando na crosta planetária, incumbir-se-iam elas próprias de esmagar os missionários do Bem, se lhes conhecessem a verdadeira condição, por meio das vibrações destruidoras da inveja, do despeito, da antipatia gratuita e das  disputas injustificáveis. Em vista disso, os trabalhadores conscientes, na maioria das vezes, organizam seus trabalhos em moldes exteriores menos graciosos, fugindo, por antecipação, ao influxo das paixões devastadoras das almas em desequilíbrio.

(...)

Os espíritos amadurecidos, mormente quando chegam à situação de “completistas”, abandonam toda experiência que os possa distrair do caminho de realização da Vontade Divina.

(...)

O corpo humano não deixa de ser a mais importante moradia para nós outros, quando compelidos à permanência na crosta. Não podemos esquecer que o próprio divino Mestre classificava-o como templo do Senhor.


Fonte: Livro Missionários da Luz. Pelo Espírito André Luiz. Psicografia de Chico Xavier.   



sexta-feira, 30 de novembro de 2018

INQUIETAÇÃO



Existem na vida social determinados tipos de inquietação que permanecem estanques, conosco, de vez que o espírito de compreensão e tolerância não nos permite exteriorizá-los.

Exemplos:

A pessoa querida que sabemos em caminhos indesejáveis.

Alguém que estimamos profundamente, a mergulhar-se em atividade clandestinas.

A companheira que se afasta dos próprios deveres, comprometendo-se em aventuras inconfessáveis.

O esposo que se envolveu em obrigações incompatíveis com as responsabilidades que abraça.

O amigo que se entregou a costumes infelizes.

A maioria das criaturas pertencentes ao grupo afetivo a que nos achamos vinculados, quando se prepara, a fim de dar um golpe de enormes proporções sobre os interesses alheios.

O irmão que nos mente, a fim de alcançar objetivos escusos.

O parente amado que deserta de casa, lançando culpas indébitas sobre outrem.

Justo observar que daríamos quanto se nos fizesse possível para socorrer semelhante corações que se nos fazem extremamente estimáveis, entretanto, o respeito por todos eles nos faz emudecer.

Ainda assim, compete-nos lembrar que dispomos de possibilidades valiosas a fim de auxiliá-los: a primeira é o silêncio, com que lhes manifestamos o nosso apreço, e a segunda é a oração, porquanto, na oração ser-nos-á possível entregá-los a Deus, cujo amor por todos esses amigos é infinitamente maior do que o nosso.


Pelo Espírito Emmanuel.
Psicografia de Chico Xavier.



Fonte: Livro Hoje. Pelo Espírito Emmanuel.  Psicografia de Chico Xavier.


segunda-feira, 26 de novembro de 2018

MINUTOS DE SABEDORIA: Não ponha limites à sua vida!




Não ponha limites à sua vida!

Procure ouvir as notas harmoniosas e sublimes do canto maravilhoso que se evola de natureza.

Viva sorridente e alegre, para espantar as preocupações, para aliviar as lutas.

Mergulhe sua alma na alma da natureza: absorva a luz do sol, goze a suavidade da lua, contemple o esplendor das estrelas, aspire o perfume das flores.

A vida é bela, apesar das dores e dos contratempos.


Fonte: Livro: Minutos de Sabedoria. De C. Torres Pastorino. Mensagem 240.