Translate

segunda-feira, 13 de abril de 2015

Post.199: DEPRESSÃO

A depressão é uma tristeza profunda e prolongada. Um estado de espírito em melancolia, tristeza, desespero... A intensidade e a duração deste estado dependem da personalidade, dos fatores que desencadeiam o processo da situação atual da vida do paciente. Qualquer pessoa pode ter depressão, podendo afetar crianças, adolescentes, jovens, adultos e idosos. Sendo ricos ou pobres; cultos ou ignorantes; encarnados ou desencarnados; e de todas as raças. Deste modo, ninguém está livre de ter depressão.


Por que tão grande quantidade de depressivos na Terra?
Joanna de Angelis, nos esclarece que: “Expressiva maioria de indivíduos somente acalenta idéias negativas, lucubra pessimismo, agasalha mal-estares. Como resultado, enfraquecem-se-lhe as resistências morais, debilitam-se-lhe os valores espirituais e alimenta-se da própria insânia.

Todas as enfermidades tem na alma as suas raízes profundas. Pois, a partir do momento em que o ser humano rumar  literalmente para o caminho do amor, do bem, sem mais ter dividas a sanar...  O espírito não mais vai está doente,e  assim não existirá doenças . Indiscutivelmente,a  depressão tem a sua matriz, sua raiz no Espírito, este sendo o gerador dos quadros emocionais e físicos, vindo de várias encarnações. Da alma vem as conquistas edificantes, como também os processos degenerativos que se exteriorizam no corpo.

Aflições de variados modos podem e poderão ocorrer, marcando de modo considerável o indivíduo. Agora, o grau da influência depende da estrutura moral do indivíduo, em que ele pode deixar ser influenciado, ou se é maduro o bastante para saber conduzir a situação sem deixar que os estados emocionais graves e danosos deixem influencia-lo.

A depressão instala-se, pouco a pouco, porque as correntes psíquicas desconexas que a desencadeiam, desarticulam, de forma lenta, o equilíbrio mental. Quando exteriorizar-se, dominadora, as suas raízes estão fixadas nos painéis da alma rebelde ou receosa de prosseguir. Todos os males que infelicitam o homem procedem do seu espírito, em que está as conquistas e as quedas, pelo seu caminho da evolução. 

A depressão, como todas as doenças ou transtornos que afetam o psiquismo e/ou corpo físico, precisam de tratamento médico. Assim, instaladas as doenças ou transtornos psíquicos é fundamental o acompanhamento médico, e o uso de medicamento destinados para tal fim. Por outro lado a presença de espíritos doentes, desequilibrados, obsessores  dificultam a recuperação do paciente, é neste ponto onde entra a assistência espiritual, por meio do tratamento espiritual, fazendo o seu papel de dar suporte e complementar o tratamento do paciente, desta forma o tratamento espiritual intensifica as possibilidades de recuperação junto com o tratamento médico.

O conceito da depressão para o Espiritismo é igual ao da medicina, sendo o conjunto de sinais e sintomas depressivos como: tristeza, falta de prazer, insônia, perda de apetite, choro fácil, abatimento, pouco conversação, preocupações constantes com doenças físicas, perda ou ganho significativo de peso, muitas horas em isolamento, excesso de sono, sensação de desvalorização ou culpa excessiva, perca de concentração, vontade de morrer, pensamentos suicidas... Que duram mais de algumas semanas.

Já vivemos outras vidas, e as causas reais de qualquer doença encontram-se nesta ou em outra existência. Assim, o espírito pode reencarnar com a predisposição adquirida em outra vida, desenvolvendo a depressão.

A depressão possui dois componentes geradores de doenças: a influência negativa de pensamentos da própria pessoa, desenvolvendo distúrbios orgânicos; e a influência do espírito obsessor, em que exercita ação persistente negativa sobre o indivíduo.

A cura da depressão depende do paciente, pois é apenas no depressivo que encontra-se a causa da doença e o fato de maior peso de preponderância para a cura; com dedicação e paciência usando os medicamentos passado pelo médico, e fazendo o tratamento espiritual das casas espíritas (kardecistas). Trabalhando a si mesmo, pois, é necessário fortalecer a moral; confiar em Deus e em Jesus; procurar aprender e praticar os ensinamentos de Jesus; realizar caridade, sem esperar nada em troca; orar, para entrar em sintonia com Deus, com Jesus e com os amigos espirituais; mudar o padrão vibratório, passar a vibrar em uma frequência mais alta, tanto para si mesmo, como para afastar, desfazer a sintonia com o obsessor;  mudar o padrão de  pensamentos e sentimentos, substituindo pensamentos e sentimentos negativos por positivos, é higienizar a mente e as emoções; criar novos hábitos saldáveis; trabalhar e superar imperfeições; controlar as idéias, os sentimentos, as emoções inferiores; rejeitar pensamentos negativos e perturbadores, substituindo-os por pensamentos positivos; estimulando as tendências boas e repelindo as más. É retomar o controle das ações. É vigiar e orar. Pois, o auxilio sempre virá.


 “Quantas enfermidades pomposamente batizadas pela ciência médica não passam de estados vibratórios da mente em desequilíbrio.”  Emmanuel 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos podem deixar seu comentário no Jardim Espírita. Se for caso de resposta, responderei assim que poder, podendo levar alguns dias.
Não publicarei comentários que contenham termos vulgares, palavrões, ofensas, publicidade e dados pessoais (como e-mail, telefone, endereços, etc.). Então fiquem a vontade para comentar!