Translate

sexta-feira, 15 de junho de 2018

ORIGEM E NATUREZA DOS ESPÍRITOS


Questões de O Livro dos Espíritos, de Allan Kardec. Capítulo 1, perguntas e respostas das questões  76 à 83 aos Espíritos Superiores.

 


76 – Que definição se pode dar dos Espíritos?
“Pode-se dizer que os Espírtios são os seres inteligentes da Criação. Povoam o Universo fora do mundo material.”
Nota: O vocábulo Espírito é empregado aqui para designar as individualidades dos seres extra-corpóreos, e não mais o elemento inteligente universal.

77 – Os Espíritos são seres distintos da Divindade ou seriam apenas emanações ou porções da Divindade e Chamados, por essa razão, filhos de Deus?
“Meu Deus! São sua obra absolutamente como um homem que faz uma máquina; essa máquina é obra do homem e não ele mesmo. Sabes que quando o homem faz uma coisa bela, útil, ele a chama sua filha, sua criação. Pois bem, o mesmo se dá com relação a Deus: somos seus filhos, uma vez que somos sua obra.” 

78 – Os Espíritos tiveram princípio, ou existem como Deus, de toda a eternidade?
“Se os Espíritos não tivessem tido princípio, seria iguais a Deus, ao passo que eles são sua criação e submetidos à sua vontade. Deus existe de toda eternidade e isto é incontestável; mas saber quando e como nos criou, não o sabemos. Podes dizer que não tivemos princípio, se entenderes com isso que sendo Deus eterno, tem criado sem descanso; mas quando e como ele criou cada um de nós, digo-te, ainda, ninguém o sabe; aí é que está o mistério.”

79 – Visto que existem dois elementos gerais no Universo – o elemento inteligente, e o elemento material – pode-se-á dizer que os Espíritos são formados do elemento inteligente como os corpos inertes são formados do elemento material?
“Evidentemente; os Espíritos são individualizações do princípio inteligente como os corpos são individualizações do princípio material. A época e o modo dessa formação é que são desconhecidos.”

80 – A criação dos Espíritos é permanente, ou só ocorreu na origem dos tempos?
“É permanente; quer dizer, Deus não cessou jamais de criar.”

81 – Os Espíritos se formam espontaneamente ou procedem uns dos outros?
“Deus os criou, como a todas as outras criaturas, pela sua vontade; mas, ainda uma vez a origem deles é mistério.”

82 – É exato dizer-se que os Espíritos são imateriais?
“Como se pode definir uma coisa, quando faltam termos de comparação e com uma linguagem insuficiente? Pode um cego de nascimento definir a luz? Imaterial não é o termo; incorpóreo seria mais exato, pois deves compreender que sendo o Espírito uma criação, deve ser alguma coisa. É a matéria quintessenciada, mas sem analogia para vós outros, e tão etérea que não pode ser percebida pelos vossos sentidos.”

Dizemos que os espíritos são imateriais, porque sua essência difere de tudo o que conhecemos sob o nome de matéria. Uma comunidade de cegos não teria termos para definir a luz e seus efeitos. Um cego de nascença crê possuir todas as percepções pelo ouvido, o odor, o gosto e o tato; ele não compreende as ideias que lhe dariam o sentido que lhe falta. Da mesma forma, com relação à essência dos seres sobre-humanos somos verdadeiros cegos. Não os podemos definir senão por comparações sempre imperfeitas, ou por um esforço da nossa imaginação.

83 – Os Espíritos tem fim? Compreende-se que o princípio de onde eles emanam seja eterno, mas o que perguntamos é se sua individualidade tem um termo e se, num tempo dado, mais ou menos longo, o elemento de que são formados não se dissemina e não retorna à massa donde saiu, como ocorre com os corpos materiais. É difícil de conceber-se que uma coisa que teve começo, possa não ter fim.
“Existem coisas que não compreendeis porque a vossa inteligência é limitada e isso não é razão para que as rejeiteis. A criança não compreende tudo o que seu pai compreende, nem o ignorante tudo o que o sábio compreende.
Dissemos que a existência do espírito não tem fim; é tudo o que podemos dizer, por enquanto.”



Fonte: O Livros dos Espíritos. Allan Kardec. Cap. 1 - perguntas e respostas das questões  76 à 83 aos Espíritos Superiores.



2 comentários:

  1. Bom dia!

    A cada vez que leio O Livro dos Espíritos aprendo mais. Mesmo que eu já tenha lido 100 vezes, na 101 conseguirei aprender algo que não tinha aprendido antes. Por isso Kardec falava para nós nunca pararmos de estudar.

    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Alice!

      Bem vinda de volta! Alegria em recebê-la.

      Realmente, O Livro dos Espíritos de Allan Kardec é uma fonte inesgotável de conhecimentos, que embora lemos e relemos sempre aprendemos e descobrimos novas coisas. Daí a importância de reler quando terminamos, pois vamos estar mais aptos a ver novos ensinamentos que estão lá e que não conseguimos ver da ultima vez que relemos. E isto também acontece com os demais livros da codificação, e muitos outros livros espíritas, que sempre que relemos vamos descobrir novos ensinamentos, quem sabe pelo fato de estarmos mais maduros para vermos e aprendermos coisas novas.

      Deus conosco.
      Paz, Luz e Harmonia.
      Jardim Espírita.

      Excluir

Todos podem deixar seu comentário no Jardim Espírita. Se for caso de resposta, responderei assim que poder, podendo levar alguns dias.
Não publicarei comentários que contenham termos vulgares, palavrões, ofensas, publicidade e dados pessoais (como e-mail, telefone, endereços, etc.). Então fiquem a vontade para comentar!